Juara (MT), 20 de setembro de 2017 - 11:01

? ºC Juara - MT

Economia

05/04/2017 13:32

Crise da carne causada pela operação da PF afetou a credibilidade no produto, avaliou pecuarista juarense Nando Conte

Com a divulgação pirotécnica da Operação Carne Fraca da Polícia Federal, a imagem de um dos principais produtos brasileiros ficou arruinada. Em nove dias, 22 países e blocos econômicos suspenderam total ou parcialmente a compra de carne brasileira.

O agronegócio correspondeu a 23,46% do Produto Interno Bruto (PIB) do País em 2016, o equivalente a R$ 1,47 trilhão, segundo dados preliminares do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Universidade de São Paulo (Cepea-USP). Em relação a 2015, a participação do agronegócio no PIB teve aumento de 15%.

Em 2016, ele foi responsável por US$ 71,3 milhões na balança comercial brasileira. Vale lembrar que o Brasil é conhecido no exterior pelas commodities, como a soja e o milho. A pecuária é parte importante. Tem 31% de participação no PIB do agronegócio. No ano passado, injetou mais de US$ 400 bilhões na economia brasileira. A preocupação principal dos especialistas diz respeito à reconquista da credibilidade do País.

Após a divulgação da Operação Carne Fraca, a JBS suspendeu a produção de carne bovina em 33 das 36 unidades do país por três dias, entre elas a unidade de Juara. O pecuarista e 2º vice-presidente da Acrimat, Nando Conte, informou que os pecuaristas ficaram ansiosos com relação aos efeitos que o mercado de carne poderia sofrer.

O pecuarista reconheceu os esforços do Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, que juntamente com o governo federal não mediu esforços para buscar a retomada da importação por parte dos países que haviam deixando o comércio de carne brasileira.

Uma pesquisa extraoficial realizada com os consumidores nas três principais cidades de Mato Grosso: Grande Cuiabá, Rondonópolis e Sinop, observou que não houve diminuição do consumo de carne no mercado interno.

Nando ressaltou que em contrapartida da queda de preço praticada, em alguns lugares aumentou a carne no varejo. A @ derrubou na média de 5% no Estado e na região Norte e Noroeste a arroba foi comercializada acima de 10% chegando até a 12%.

“A gente percebe uma certa pressão baixista sendo imprimida agora pelos frigoríficos em cima do produtor rural.” Desabafou.

Para o 2º vice-presidente da Acrimat, a expectativa dos pecuaristas de Juara e região ainda está temerosa. Ele orienta aos pecuaristas a manter o que tem, ou seja, não vender sua mercadoria abaixo do custo de produção.

Em Juara, a @ do Boi Gordo para 30 dias estava sendo praticada em média a R$ 127,00 e atualmente os valores praticados estão na casa dos R$ 120,00. Já a @ da Vaca Gorda também sofreu uma forte queda, caindo de R$ 122,00 para R$ 112,00.

Nando anuncia que o pior da Operação da Polícia Federal já passou, ele ainda ressalta que a crise não foi de qualidade e sanidade, para o pecuarista a crise foi de Imagem causada por uma certa pirotecnia por parte do delegado responsável pela Operação.

 

 


Banner hospital quadrado

Acesse Notícias

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo