Juara (MT), 21 de agosto de 2018 - 19:31

? ºC Juara - MT

Economia

23/05/2018 16:37 Acesse Notícias com INDEA

Cinco equipes de técnicos INDEA iniciam visitas em propriedades embargadas de Juara devido uso de vacinas sem controle sanitário

A presidente do INDEA a veterinária Daniela Bueno, concedeu entrevista a reportagem da Rádio Tucunaré site acesse notícias, na tarde do dia 23, para tecer esclarecimentos acerca dos últimos acontecimentos em relação ao lote de vacinas que teria sido vendida sem o controle do órgão de inspeção.

Daniela explica, que em fiscalização de rotina nas lojas agropecuárias de Juara, os técnicos do INDEA notaram irregularidades num lote de vacinas de febre aftosa, especialmente no quesito “origem” dessa vacina e que a comercialização dessas vacinas estavam em desacordo com as normas estabelecidas, desencadeando ações de investigação do caso.

Com o objetivo de salvaguardar a sanidade do rebanho e dar garantias aos produtores rurais, todas as 335 propriedades que adquiriram a vacina em loja veterinária investigada na etapa de maio de 2018, foram preventivamente interditadas no Sistema Informatizado de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Sindesa) para o trânsito de bovinos e bubalinos, com exceção para o abate.

A partir de informações obtidas, identificando os produtores rurais que receberam a vacina fora dos controles oficiais, o Indea deslocou cinco equipes compostas por médicos veterinários e agentes fiscais para o município de Juara. Nesta quarta-feira (23.05), as equipes iniciaram a visita em propriedades de 30 produtores rurais, para verificação in loco e notificação para vacinação dos bovinos e bubalinos com acompanhamento oficial.

De acordo com a presidente do Indea, Daniella Bueno, estima-se que no prazo de três dias, as equipes concluam esse trabalho inicial. “Espera-se que em três dias as equipes finalizem as notificações e investigações de campo para novas tomadas e decisões, principalmente no que tange às demais propriedades que estão interditadas”.

Caso não seja possível concluir que somente as propriedades, inicialmente fiscalizados, utilizaram a vacina em desacordo, a investigação poderá ser estendida para as demais propriedades visando identificar em quais delas a revacinação será necessária.

A gestora do Indea, Daniella Bueno, ressalta que o caso é considerado pontual e não compromete a sanidade do rebanho mato-grossense. “Ressaltamos ainda, tratar-se de um episódio pontual detectado pelo eficiente controle do serviço oficial, não comprometendo a cobertura vacinal obtida pela massiva vacinação realizada pelo produtor mato-grossense ao longo dos anos, e comprovada mediante estudos da eficiência da vacinação conduzidos pelo Ministério da Agricultura”.

É importante frisar que o prazo para vacinação contra a febre aftosa em Mato Grosso segue inalterado, ou seja, o produtor tem até o dia 31 de maio para imunizar todo o rebanho bovino e bubalino, de mamando a caducando. O prazo para a comunicação junto ao Indea encerra no dia 11 de junho.

A relação das propriedades rurais interditadas estão disponíveis na Unidade Local de Execução de Juara, que mantem-se à disposição para dirimir dúvidas dos produtores.

Orientamos aos produtores que estão com suas propriedades interditadas, para antes de tomar qualquer providência relativa a vacinação do rebanho, que aguardem o contato do Indea e colaborem ao máximo, fornecendo todas as informações requeridas para elucidação dos fatos”, pontuou Daniella.

As ações estão sendo conduzidas pelo Indea e Superintendência Federal de Agricultura em Mato Grosso (SFA-MT) com apoio dos representantes dos produtores rurais.


Banner hospital quadrado

Acesse Notícias

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo