Juara (MT), 17 de outubro de 2018 - 16:16

? ºC Juara - MT

Estaduais

05/06/2018 17:02 OLHAR DIRETO

Taborelli viola tornozeleira eletrônica 47 vezes e justiça pede apuração

Relatório do Sistema de Acompanhamento de Custódia dá conta de que o suplente de deputado estadual coronel Pery Taborelli (PSC) violou 47 vezes o uso da tornozeleira eletrônica em janeiro deste ano.

Para apurar o caso, diante das alegações da defesa de eventuais problemas técnicos, a justiça determinou maiores infomarções sobre o uso do dispositivo.

O político usa tornozeleira por decisão do juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, da Vara de Execuções Penais, desde 04 de dezembro de 2017. Taborelli foi condenado, em março daquele ano, a 2 anos e 4 meses de prisão.

A prisão deveria ser cumprida em regime semiaberto, sendo uma das condições impostas ao réu o comparecimento a uma audiência no dia 27 de setembro daquele ano. Todavia, o oficial de justiça responsável por intimá-lo não o encontrou. Razão pela qual, no dia 31 de outubro a justiça expediu mandado de prisão.

Para evitar a detenção, o ex-parlamentar se apresentou, no Fórum da Capital e recebeu ordem para instalação de tornozeleira para monitoramento eletrônico.

Com a prisão domiciliar imposta, Taborelli deve recolher-se em sua residência diariamente, exatamente no endereço indicado nos autos, no período compreendido entre 20h e 6h, estando autorizado a sair para trabalhar ou buscar emprego.

Contudo, segundo o Sistema de Acompanhamento de Custódia, isso não tem acontecido. O órgão reportou ao juízo 47 violações ao dispositivo.

A defesa de Taborelli manifestou nos autos informando ao juízo que tomou ciência das infrações supostamente cometidas somente três dias após o relatório do Sistema de Acompanhamento, quando já havia sido marcada a audiência de justificação.

Alega também que a situação envolve poblema de natureza técnica, uma vez que mesmo dentro de casa, o dispositivo GPS do aparelho informa estar em local diverso.

No dia 23 de maio, o juiz Wladys Roberto do Amaral, da Segunda Vara Criminal, requisitou à Central de Monitoramento informações sobre a tornozeleira, a fim de verificar se, de fato, o local onde mora o político dificulta o funcionamento do sistema GPS.

Concluído o relatório, o Ministério Público Estadual (MPE) deverá se manifestar.

Entenda o caso:

Taborelli foi acusado pelo Ministério Público Estadual (MPE) de ter conduzido e prendido adolescentes de maneira violenta durante a festa dos 150 anos do município de Rosário Oeste, nos dias 24 e 25 de julho de 2011.

Conforme o relato, o então Policial Militar teria se irritado com a desorganização da festa e a suposta venda de bebidas alcóolicas a adolescentes.

Por conta disso, o ex-deputado foi condenado, inicialmente, a 4 anos, 2 meses e 23 dias de detenção, além do pagamento de R$ 30 mil para reparação dos danos causados às vítimas.

A sentença foi proferida em agosto de 2015, pelo juiz Ednei Ferreira dos Santos, mas foi reformulada no dia 29 de março deste ano, com a redução da pena anterior e a anulação da multa.


Banner hospital quadrado

Acesse Notícias

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo