Juara (MT), 17 de outubro de 2018 - 01:06

? ºC Juara - MT

Juara

09/02/2018 09:29 Acesse Notícias

Acusados da morte do pecuarista têm prisão preventiva decretada, porém estão foragidos. Saiba quem são eles.

Com exclusividade na manhã desse dia 09 a reportagem a Rádio Tucunaré site Acesse Notícias obtiveram o nome dos acusados de matarem o pecuarista Moises Moraes em janeiro de 2018. Foi decretada a prisão preventiva do envolvidos , mas todos estão foragidos.

Leia: Pecuarista desaparecido em Juara foi assassinado por família de sua amante

Foi decretada a prisão preventiva de todos os integrantes da família envolvida no crime contra pecuarista Moisés Moraes são eles: Nadir Mota, Maria Aparecida Alves Mota, popular preta, thiago Alves Mota (filho do casal), Lindomar Cardoso da Silva. A filha não teve prisão decretada embora no inquérito policial, conste que ela colaborou com a ocultação do cadáver de Moises Moraes.

O juiz da 3ª vara criminal da Comarca de Juara Pedro Flory decretou a prisão preventiva dos acusados, porque duas dessas pessoas foram pegas com armas de fogo e de pronto, o juiz decretou a prisão.

O delegado Carlos Henrique Engelman recebeu em mãos o pedido de prisão preventiva, mas embora tenha feito várias diligências nas localidades onde mora a família de acusados não foram encontrados, e portanto, a condição deles é de foragidos da Justiça.

Personagens desse enredo criminoso

Todos são moradores próximos  da ponte dos Rios dos Peixes sentido Itapaiúnas em Juara.

Nadir Mota que é marido de Maria Aparecida: atirou contra Moisés Moraes

Maria Aparecida Alves Mota, popular preta: Pivô do crime, pois mantinha relacionamento extraconjugal com o pecuarista e o atraiu para o local onde foi morto, ou seja, participou ativamente na emboscada.

Tiago Mota é o filho do casal que atirou contra Moisés Moraes e ocultou seu cadáver

Lindomar Cardoso da Silva é o vizinho que ajudou no crime e disparou tiros contra o pecuarista.

 A filha do casal não teve a prisão preventiva decretada, mas ela está incluída no inquérito policial por que colaborou e ajudou com a ocultação de cadáver.

Por se tratar de um caso muito grave onde houve uma comoção social muito grande e a crueldade com que foi cometido esse crime em Juara, além disso houve ainda, apreensão das armas em flagrante, então de ofício o juiz decretou a prisão preventiva.

Mais informações a qualquer momento durante a programação da Rádio Tucunaré de Juara.


Banner hospital quadrado

Acesse Notícias

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo