Juara (MT), 18 de dezembro de 2018 - 07:40

? ºC Juara - MT

Juara

10/05/2018 10:08 Acesse Notícias/Rádio Tucunaré

Inquérito sobre furto de gado em Juara deve ser concluído em 10 dias

O delegado Carlos Henrique Engelmann explica o caso de furto de gado em Juara e o andamento do inquérito policial que deve estar concluído em 10 dias.

Em entrevista exclusiva a Rádio Tucunaré e site Acesse Noticias, conta o delegado, que na noite de domingo, dia 6 de maio, um pecuarista de Juara foi até uma propriedade rural, onde tem algumas cabeças de gado e percebeu que pessoas estranhas a sua propriedade estavam com uma caminhonete ou caminhão três quartos. Percebeu ainda, os rastros de animais, que teriam passado pelo embarcador.

Esse pecuarista entrou em contato com outras pessoas que circulavam por aquela estrada rural e conseguiu apurar que de fato havia uma caminhonete modelo F-4000 com carroceria Boiadeiro, vindo do local do fato e indo em direção de Juara. O pecuarista acionou a polícia militar que conseguiu abordar essa caminhonete a cerca de 8 km da cidade de Juara, e de pronto identificou os animais e constatou que eram seus. Eram 6 vacas e uma cabeça de boi que lhe foram furtadas.

As duas pessoas que estavam conduzindo a caminhonete foram conduzidos prestaram as informações, de que esse gado seria levado para uma terceira pessoa, morador novo Horizonte do Norte, que os teria orientado, sobre como deveriam proceder para capturar o gado e leva-lo.

O delegado explica, que no seu entendimento, os dois elementos que estavam conduzindo a caminhonete estava em situação de flagrante delito, e assim foram autuados no artigo no artigo 155 parágrafos 4º , inciso 4 e paragrafo 6º que é o furto cometido por mais de duas pessoas ou mais e furto de gado, “é um crime novo entrada em vigor na legislação penal brasileira conhecido como Abigeato”, disse.

O morador de Novo Horizonte, citado pelos flagrados, Nilson Martins da Silva também foi localizado e conduzido a policia, onde foi interrogado na presença de seu advogado e foi liberado em seguida, “apesar de fortes indicativos de participação no crime que se apura, e talvez, seja o mentor intelectual do furto, ele não se encontrava na situação de flagrante delito”, explicou o delegado.

Sobre indiciar Nilson por envolvimento no crime ou não, o delegado disse: "não obstante ele ter sido liberado, não significa que não será indiciado no inquérito policial e se assim for, e esse assim também for entendido pelo ministério Público, ele deverá responder a um processo penal pelos fatos e ao final, o judiciário caberá julgá-lo, e se for o caso de condena-lo, medir qual seria a pena que deverá ser imposta a ele”, disse.

O delegado explica ainda que a caminhonete utilizada no furto pertence ao morador de Novo Horizonte do Norte, citado como envolvido, pelos dois flagrados e nesse momento, está sendo periciada, para verificações de eventuais adulterações de motor, e ainda, sobre como poder deliberar sobre os destinos a serem dados a este veículo.

As investigações continuam e muitas informações ainda carecem de confirmações a serem concluídas no prazo de 10 dias, informou o delegado.

Um dos réus está preso, mas poderá ser liberado caso pague fiança, mas o inquérito deve ser encerrado e ser encaminhado ao poder judiciário e Ministério Público, explicou o delegado Carlos Henrique Engelmann.

O rapaz que estava conduzindo o veículo informou à polícia, que teria pegado esse veículo do proprietário de Novo Horizonte Nilson e sob o comando deste, e ao preço de R$ 800,00, se deslocou a propriedade rural da vítima, adentrou a propriedade e coletou as cabeças de gado e deveria levá-las para uma propriedade rural do dono da caminhonete na cidade de Novo Horizonte do Norte. Ele alegou que não sabia que estava furtando gado, porém entrou na propriedade sem comunicar com qualquer pessoa, alertou o delegado.

No entendimento do Dr Carlos, essa é uma situação de flagrante delito e por isso foram autuados ele e o comparsa e o inquérito policial seguirá para apuração do crime de furto e eventual receptação, portanto ainda é muito cedo para qualquer conclusão, porque as diligências ainda estão em curso.

O morador de Novo Horizonte Nilson Martins da Silva, citado pelos dois flagrados, nega qualquer tipo de participação nesse crime e justificou que não sabia da procedência do gado, e que um dos suspeitos detidos tinha uma dívida em aberto e estaria quitando em gado, mas não sabia nada a respeito desse furto e nada tem a ver com tudo isso.


Banner hospital quadrado

Acesse Notícias

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo