Juara (MT), 14 de novembro de 2018 - 22:02

? ºC Juara - MT

Mundo

01/09/2018 06:19

EUA cortam contribuição à agência da ONU para refugiados palestinos

Valor já havia sido reduzido de US$ 350 milhões para US$ 65 milhões de 2017 para 2018; contribuição de US$ 200 milhões também foi cancelada na semana passada. EUA estão 'minando uma situação já instável e possibilidades de uma paz futura no Oriente Médio', diz embaixador palestino.

Os Estados Unidos suspenderam nesta sexta-feira (31) o seu fornecimento de ajuda à agência da ONU para os refugiados palestinos (UNRWA), após determinar que a organização é "irremediavelmente falha", anunciou o Departamento de Estado.

"A administração reviu cuidadosamente a questão e determinou que os Estados Unidos não farão contribuições adicionais para a UNRWA", disse a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, em um comunicado.

Mais cedo, o embaixador palestino em Washington, Hossam Zomlot, havia advertido sobre essa possibilidade.

Os Estados Unidos, historicamente o principal país doador da UNRWA, já havia reduzido drasticamente as suas contribuições. De US$ 350 milhões em 2017, o montante passou para US$ 65 milhões em 2018.

"Cortar ajuda à UNRWA significa que os Estados Unidos estão renunciado aos seus compromissos e responsabilidades internacionais", disse Hossam Zomlot, que representa oficialmente a Palestina na Organização para a Libertação da Palestina (OLP), do presidente palestino, Mahmoud Abbas.

"Ao adotar as posições israelenses mais extremas sobre todas as questões, incluindo os direitos de mais de cinco milhões de refugiados palestinos, a administração americana perdeu seu status de mediador e não só está minando uma situação já instável, mas também as possibilidades de uma paz futura no Oriente Médio", acrescentou o embaixador em uma declaração enviada antes do anúncio à AFP.

Ainda assinalou que "não cabe à administração americana definir o status dos refugiados palestinos, a única condição que os Estados Unidos podem definir é o seu próprio papel como mediador de paz na região", disse Hossam Zomlot.

"Existem inúmeros refugiados que continuam recebendo assistência", enquanto o governo palestino "continua criticando os Estados Unidos", disse esta semana a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley.

"Acho que temos que olhar para o direito de retorno", acrescentou.

A Autoridade Palestina rejeitou qualquer contato com Washington desde que Donald Trump anunciou no final de 2017 que reconhecia Jerusalém como a capital de Israel. Os Estados Unidos também anunciaram na semana passada o cancelamento de mais de US$ 200 milhões em ajuda bilateral aos palestinos.


Banner hospital quadrado

Acesse Notícias

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo