Juara (MT), 16 de novembro de 2018 - 10:43

? ºC Juara - MT

Mundo

31/10/2018 08:34 R7

Milhares de venezuelanos esperam para entrar em território peruano

Eles fogem da crise na Venezuela e tentam entrar antes do prazo final dado pelo governo do Peru para adquirir residência no país.

Pelo menos 6 mil venezuelanos fizeram fila na fronteira com o Peru nesta terça-feira, na esperança de entrar no país antes de um prazo final para adquirir residência, e outros 4 mil são esperados nos próximos dois dias, afirmou o gabinete do defensor público do Peru.

México está perto de ser palco de crise igual à da Venezuela

O Peru foi um dos primeiros países a oferecer documentos de residência temporária a venezuelanos que estão deixando seu país atingido pela crise e atravessando a fronteira para Colômbia e Equador até chegar ao Peru. 

Como o número de venezuelanos no Peru já chega a quase meio milhão, o governo adiantou o prazo final para a concessão de residência do final do ano para o final do mês de outubro. Imigrantes venezuelanos terão de entrar no país até quarta-feira para que sejam considerados elegíveis a receberem os documentos que permitem moradia, trabalho e estudos legalmente no país.

O Peru também passou a exigir passaportes para a entrada no país. 

Com a chegada do prazo final, um número crescente de venezuelanos tem lotado a fronteira do Peru com o Equador, segundo Abel Chiroque, diretor do gabinete do defensor público na cidade fronteiriça de Tumbes. 

"A demanda por serviços é esmagadora (...) a capacidade de atendê-los entrou em colapso", disse Chiroque por telefone, descrevendo os imigrantes que estão na fila por quase 24 horas. "A situação é preocupante". 

Chiroque disse que pediu que o governo distribua senhas para os venezuelanos na fila quando o prazo acabar, para que eles possam pedir documentos de residência posteriormente. 

A agência peruana de imigração não respondeu imediatamente aos pedidos para comentários. 

Desde que a economia da Venezuela, grande exportadora de petróleo, afundou em uma crise sob o comando do presidente Nicolás Maduro, cerca de 1,9 milhão de venezuelanos emigraram desde 2015, de acordo com a Organização das Nações Unidas. Cerca de 90 por cento dos que saíram mais recentemente continuam na América do Sul, segundo a ONU. 

O êxodo aumentou a demanda dos serviços sociais e provocou preocupações sobre crimes e empregos nos países que tem recebido os venezuelanos. Muitos imigrantes estão enfrentando discriminação e leis restritivas à imigração. 

Durante sua jornada de duas semanas pelas implacavelmente frias montanhas dos Andes, o venezuelano Jesus Mendoza se alimentou melhor do que nos últimos meses em sua terra natal."Na Venezuela, eu comia duas refeições por dia se tinha sorte", disse Mendoza, caminhando pela rodovia Panamericana com uma mochila esfarrapada. Ele cruzou ilegalmente uma parte desprotegida da fronteira entre Equador e Colômbia


Banner hospital quadrado

Acesse Notícias

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo