Juara (MT), 24 de maio de 2018 - 11:41

? ºC Juara - MT

Policia

14/05/2018 07:57 SÓ Notícias

Nortão: funcionária pública cobra celeridade na investigação da morte de filho atingindo por disparo de arma de policial

A auxiliar de serviços gerais Vania Cristina disse, em entrevista, ao Só Notícias, que, até agora, não houve conclusão dos testes balísticos da pistola .40, de propriedade de um soldado da Polícia Militar, de 24 anos, que foi apreendia após o filho dela, Alexandre Fernando da Silva, de 27 anos, ser atingindo pelos disparos da arma e acabou morrendo, em um pesqueiro em Vera (90 quilômetros de Sinop), no dia 15 de março.

O jovem chegou a ser encaminhado, ao Pronto Atendimento, mas não resistiu aos ferimentos.“Já se passaram mais de dois meses e ainda não tivemos resposta de nada das investigações. O teste balístico que era para ser concluído em 15 dias, até agora, não confirmaram o resultado. Queremos saber a verdade”, disse.

Cristiana disse não acreditar que Alexandre foi morto acidentalmente. “Meu filho estava trabalhando na loja dele e houve uma insistências do policial para convencê-lo aceitar ir junto nesta tal pescaria. Quando foi. por volta das 4h da manhã, recebi a notícia que meu filho estava morto. É um sentimento de revolta porque até agora não tivemos nenhum resposta. Por isso, não acredito que ele morrido acidentalmente. Tenho convicção que armaram para matá-lo. Morto não fala.  Eles levaram meu filho longe para fazer o que fizeram”, acusou.

Conforme Só Notícias já informou, a versão apontada no boletim de ocorrência e investigada pela Polícia Civil é que o militar estava com outras duas pessoas e Alexandre teria tentado retirar a arma da cintura dele em forma de brincadeira. Com isso, houve disparo acidental e acertou a região do tórax. As duas testemunhas e o soldado socorreram a vítima até a unidade médica, mas ele não resistiu.

De acordo com o comandante da PM de Sorriso, major Jorge Almeida, o soldado deixou de fazer as atividades nas ruas e está no serviço operacional. Além disso, foi aberta sindicância com prazo de 30 dias para ser concluída. A arma foi apreendida e o delegado de Polícia Civil, Flávio Souza Braga, pediu que a Diretoria Metropolitana de Criminalística em Cuiabá, realize exame pericial.

O Instituto Médico Legal (IML) de Sinop confirmou que concluiu o laudo apontado em que local do corpo Alexandre foi atingido pelo disparo da pistola. Porém, os dados são sigilosos e foram encaminhados ao delegado Flávio Souza Braga, que é responsável pelas investigações.


Banner hospital quadrado

Acesse Notícias

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo