Juara (MT), 16 de agosto de 2018 - 01:50

? ºC Juara - MT

Policia

10/08/2018 06:13 G1 MT

Dois homens são presos por envolvimento com facção que movimentou R$ 52 milhões com extorsão em MT

Djalma de Paula Silva, conhecido como 'Chacal', e Ronijean Goulart, segundo a polícia, tem envolvimento com uma facção criminosa. Eles foram presos na quarta-feira (8).Djalma de Paula Silva, conhecido como 'Chacal', e Ronijean Goulart, segundo a polícia, tem envolvimento com uma facção criminosa. Eles foram presos na quarta-feira (8). Dois homens foram presos na quarta-feira (8), em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, por suspeita de com uma facção criminosa que movimentou cerca de R$ 52 milhões com extorsão no estado. Foram presos: Djalma de Paula Silva, conhecido como 'Chacal', e Ronijean Goulart Jardim. O G1 não conseguiu localizar a defesa deles.
A quadrilha foi desarticulada durante a Operação Red Money, deflagrada na quarta-feira.
Segundo a Polícia Civil, Djalma e Ronijean não tinham mandados de prisão da operação, mas foram encontrados com seis veículos (um deles adulterado) e documentos que tem ligação com a facção.
Os dois foram detidos durante o cumprimento de mandado contra a mulher de Djalma, Aline Martinha de Oliveira.
Durante buscas na residência em que estavam, os policiais encontraram R$ 10 mil em espécie. O dinheiro, segundo a polícia, é supostamente proveniente da lavagem de dinheiro. Também foram apreendidos cheques e comprovantes de transações bancárias.

Operação Red MoneyA operação foi deflagrada após uma investigação policial descobrir um engenhoso esquema de arrecadação de dinheiro desenvolvido pela principal facção criminosa que agia no estado.
O grupo conseguiu captar dinheiro por meio de pagamento de mensalidade de membros e traficantes, além de taxas de 'segurança' em comércios.

Outra fonte de renda vem de crimes articulados de dentro dos presídios, como roubos e furtos de veículo e agências bancárias, tráfico de drogas e estelionato.
A Justiça expediu mais de 230 ordens judiciais, entre mandados de prisão preventiva, buscas e apreensão, bloqueios de contas-correntes e sequestro de bens (veículos, joias, imóveis urbanos e rurais) e valores.
No período de um ano e meio, de 1º de junho de 2016 a 18 de janeiro de 2018, entre entradas e saídas de 44 contas investigadas na operação, foram identificados movimentação de aproximadamente R$ 52 milhões.


Banner hospital quadrado

Acesse Notícias

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo