Juara (MT), 17 de junho de 2019 - 21:46

? ºC Juara - MT

Policia

04/06/2019 06:28 Midia News

Advogado diz que esposa foi ameaçada de morte por sindicalistas

O advogado Péricles Campos registrou um boletim de ocorrência contra o presidente e o diretor do Sindicato dos Correios (Sintect), Edmar dos Santos Leite e Everaldo Nunes de Souza, respectivamente, por ameaças de morte que teriam sido feitas à esposa dele, Paula da Mata.O advogado Péricles Campos registrou um boletim de ocorrência contra o presidente e o diretor do Sindicato dos Correios (Sintect), Edmar dos Santos Leite e Everaldo Nunes de Souza, respectivamente, por ameaças de morte que teriam sido feitas à esposa dele, Paula da Mata.
 
As ameaças teriam sido proferidas após o casal, que mora ao lado da sede da entidade, registrar várias denúncias de reclamação contra o som alto, durante uma festa realizada nesse domingo (2). Na ocasião, seis pessoas foram detidas pela Polícia Militar - entre elas, o presidente e o diretor do sindicato.
 
Em entrevista ao MidiaNews, Péricles contou que a festa começou por volta das 17h, mas que esperou até às 22h para fazer a primeira denúncia, após a tentativa frustrada de conversa com os organizadores.
 
Segundo ele, as ameaças foram feitas por Edmar e Everaldo à esposa dele, que também é advogada.

“Eles xingaram a minha esposa de vaca, vagabunda, [disseram] que ela devia ter medo da morte”, disse.“Eles xingaram a minha esposa de vaca, vagabunda, [disseram] que ela devia ter medo da morte”, disse.
 
De acordo com ele, na presença da Polícia, os sindicalistas continuaram com as ameaças.
 
"Eles falaram que, como a gente mora ao lado, conseguem nos localizar facilmente, que a gente não sabe onde eles moram, que estavam ali de passagem no sindicato, mas que a gente mora ali do lado e que vamos pagar por tudo o que fizemos", relatou.
 
O casal conta que foi até a delegacia na madrugada de hoje (3) e, além de registrar o boletim de ocorrência, manifestou interesse em representar contra os dois sindicalistas criminalmente. O casal também disse que pretende mover uma ação contra o Sindicato dos Correios.
 
Confusão com a PM
 
A Polícia Militar relatou em um boletim de ocorrência ter sido acionada várias vezes por moradores da região, que reclamavam do som alto no local.
 
Conforme o relato, em todas as vezes que os policiais chegaram ao local, os organizadores abaixavam o volume do som, mas assim que eles saíam, aumentavam novamente.
 
A última denúncia aconteceu por volta das 23h40 e, de acordo com o BO, os organizadores começaram a gritar e ameaçar a Polícia.
 
A PM deu voz de prisão a eles, que resistiram, tendo início uma pancadaria no local. Foi necessário o uso de spray de pimenta e um tiro para o alto para que os envolvidos dispersassem.
 
Durante a confusão, um policial militar foi ferido.
 
Os seis homens foram algemados e encaminhados para a Central de Flagrantes de Cuiabá, onde foram autuados por perturbação da tranquilidade, desobediência, resistência e desacato.
 
Outro lado
 
A reportagem entrou em contato com o diretor do Sindicato dos Correios, Alexandre Aragão, que negou as acusações de ameça de mortes e informou ainda que irá acionar o advogado Péricles Campos na Justiça.
 
"Tinha apenas uma caixinha de som da JBL. Em nenhum momento foi por causa de som, temos vizinhos que moram ali há mais de 6 anos e nunca houve isso. Não tem a menor possibilidade de ter sido pelo barulho. Nós vamos responsabilizar o Estado, por conta das agressões dos policiais e vamos  mover a ação contra o advogado", disse.


Banner hospital quadrado

Acesse Notícias

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo