A evolução tecnológica criou empregos que ninguém jamais imaginou – saiba aproveitá-la

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Você sabe o que é PewDiePie? Nunca ouviu falar? Deveria.

Sim, esse é nome do canal com maior número de assinantes da história do YouTube, com um total de 48.865.786 usuários. 48 milhões!

PewDiePie detém esse recorde há mais de dois anos. Isso é mais do que o canal da Rihanna e de qualquer outro famoso músico profissional. Ou que qualquer outro canal, seja o tema que for.

Os vídeos do PewDiePie têm mais visualizações que qualquer outro canal, com mais de 13,6 bilhões!

PewDiePie — um sueco cujo nome real é Felix Kjellberg — teve uma renda de mais de US$ 12 milhões em 2015.

Ele já havia faturado US$ 4 milhões em 2013 e US$ 7,5 milhões em 2014.

Agora, eis a melhor parte: vocês sabem qual é o conteúdo dos vídeos? Felix filma a si próprio jogando videogame e fazendo comentários escrachados.

Sim, é sério. Foi com esse tipo de conteúdo que o canal ganhou fama e US$ 12 milhões no ano passado. E continua crescendo.

Há várias lições a tirar desse fato. Divagarei sobre três.

Primeira lição

Os tempos definitivamente mudaram. Isso é surpreendente e mostra a transição evidente no padrão de consumo e produção de conteúdo midiático que estamos testemunhando.

TV aberta, jornais impressos, rádio, e demais mídias tradicionais talvez não sumirão da face da terra, mas estão cada vez mais em pé de igualdade diante das novas tecnologias.

No futuro, talvez sejam menos relevantes que as novas formas.

Segunda lição

Qualquer um hoje tem a seu dispor ferramentas poderosíssimas para criar e produzir conteúdo original e fazer disso um negócio ou um modo de vida.

Vejo inúmeros jornalistas, apresentadores, âncoras, e especialmente o pessoal da velha guarda não percebendo o potencial de YouTube e afins. Em vez de pleitear cargos no telejornal da rede de televisão XPTO, em vez de implorar por liberdade de expressão no exercício de suas funções celetistas, apenas criem seus próprios canais de jornalismo.

Com um custo relativamente baixo, é possível adquirir material profissional de gravação e transmissão, e transformar um canal de YouTube em uma “rede de jornalismo” com plena independência financeira e de opinião.

A próxima Rede Globo, CNN, Bloomberg, nascerá na internet, não na televisão tradicional. Anotem aí.

Terceira lição

Quando seu filho pequeno pedir um videogame ou gastar horas jogando e, iPads, iPhones e em demais tablets e smartphones, tente não podá-lo em demasia, pois é possível que essa seja a sua profissão futura, com potencial real de aposentar você, sua esposa e seus netos.

Conclusão

Este é um tema caro a este Instituto.  Frequentemente são publicados artigos mostrando que a automação e a evolução tecnológica, longe de destruir empregos, será a grande criadora de oportunidades de trabalho.

À medida que a automação e as máquinas substituem os homens nas tarefas pesadas, exaustivas e monótonas, estes adquirem mais tempo e mais energia para se dedicar a tarefas mais criativas e prazerosas, nas quais realmente são bons.

Uma automação agressiva liberta o ser humano do fardo de ter de fazer trabalhos pesados e o libera para se aventurar em novos empreendimentos. Isso vem ocorrendo desde que as máquinas liberaram o homem do trabalho pesado no campo e o permitiram ir buscar outras vocações fora do campo. Foi ali que começou nosso processo de enriquecimento e de melhora no padrão de vida.

Esse processo segue até hoje.

Com a massificação da tecnologia, descobriremos novas aptidões, novas fontes de renda e novos trabalhos prazerosos que, no futuro, nos deixarão atônitos ao percebermos o tanto de energia que desperdiçávamos hoje com trabalhos maçantes, pesados e repetitivos. Longe de destruir empregos, a tecnologia é e continuará sendo a grande criadora de novos empregos.

Como relatou um amigo, quem, há meio século, poderia prever que hoje teríamos as seguintes profissões: YouTubers, Consultores de Moda, Fashion Designers, Apresentadores de Programas de Entretenimento Televisivo, Jogadores Profissionais de Videogame, Consultor de Marketing, Experimentador de Hotéis de Luxo, Testador de Camas, Testador de Alimentos e Bebidas, Investidores Profissionais, Professores de Investimento, Guias Turísticos, Testadores de Tobogãs, “Instagramers” Profissionais, e um número muito maior de Atores e Atrizes do que antigamente?

Isso só foi permitido porque a humanidade foi liberada, pelo evolução tecnológica, do fardo do trabalho pesado.

Essa evolução observada na divisão do trabalho, permitida pela tecnologia que nos liberta e nos permite descobrir novas vocações, é fantástica.

Saiba aproveitá-la.

Fonte: Instituto Mises Brasil

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️