baner topo1
Juara – Mato Grosso
Domingo, 25 de Julho de 2021

Administração Municipal esclarece apontamento do TCE sobre suposta vacinação de idosa falecida

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Visando dar transparência a cerca do apontamento do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, quanto a suposta vacinação de uma idosa já falecida, a secretária municipal de Saúde Maísa Figueiredo, acompanhada pela vereadora Marta Dalpiaz Nepomuceno, presidente Comissão Especial COVID 19 da Câmara Municipal de Vereadores, foi visitar in loco a senhora  Maria Rodrigues da Silva, 82 anos.

A visita aconteceu na tarde desta terça-feira (20.04), mediante a autorização dos familiares da idosa, e foi comprovado que a senhora Maria Rodrigues da Silva está de fato viva, e não falecida como apontou o TCE. “Surgiu esse boato, o pessoal da Secretaria de Saúde já veio duas vezes aqui por conta disso, parece que a confusão partiu do INSS, diz que ela morreu em 2009. Que confusão danada essa, estão acabando com a minha ‘velhinha’ sendo que ela está aqui vivinha”, brincou Maria de Fátima Xavier, filha da senhora Maria.

Marta Dalpiaz explicou o porquê do apontamento do TCE. “Tivemos uma notificação do TCE para a Secretaria de Saúde como se ela estivesse falecida, foi comprovado através de documentos que ela estava viva, e hoje a imprensa apontou o município como se estivesse vacinado ela e ela não está viva. Mas vimos que é o contrário, para comprovar a lisura do processo de vacinação”.

Ainda de acordo com a vereadora, a idosa teve o beneficio da aposentadoria  temporariamente suspenso, mas o contratempo já foi esclarecido. “Ela teve o benefício da aposentadoria suspenso pelo INSS, mas já está recebendo normalmente, por isso acreditamos que teve erro no processo, e por isso esse dado aparece errado, mas podemos comprovar que as informações foram dadas e isso não aconteceu”.

Já a secretária de Saúde explicou que a defesa quanto ao apontamento já foi feita diretamente ao TCE, e agora o fato está sendo esclarecido para toda a população. “Pedimos a autorização da família pela segunda vez, para comprovar que ela estava viva e não houve erro na vacinação, conforme informado ao TCE. Vimos que ela está viva, bem viva e imunizada contra o COVID”, comemorou Maísa.

COMO FOI FEITO O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES DO TCE ?

O resultado preliminar do acompanhamento simultâneo especial foi obtido com base no cruzamento de dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), referentes à vacinação contra Covid-19 de 18 de janeiro a 15 de março, e do Sistema Informatizado de Controle de Óbitos (Sisobi).

No total, foram identificados 114.858 casos regulares (99,93%) e outros 56 foram apontados como inconclusivos (0,05%), uma vez que o CPF de registro constou na base de dados do Sisobi, a data de vacinação foi posterior à data do óbito, mas o nome ou a data de nascimento do vacinado foi divergente da informação referente ao falecido.

Já no caso dos 27 registros classificados como irregulares (0,02%), o CPF do vacinado constou na base de dados do Sisobi, a data de vacinação foi posterior à data do óbito, e o nome do vacinado, assim como a data de nascimento, coincidiu com os do falecido.

A partir da identificação dos indícios de irregularidades, a Presidência do Tribunal de Contas emitiu notificação aos 22 gestores municipais para que se manifestem acerca dos motivos que levaram à vacinação das pessoas relacionadas na informação técnica, a fim de melhor elucidar os fatos e propiciar manifestação conclusiva por parte do órgão de controle externo.

TRANSPARÊNCIA

A Secretaria Municipal de Saúde divulga frequentemente a relação com o nome das pessoas que receberam a vacinação contra o COVID 19, respeitando as normativas estabelecidas através do Plano Municipal de Vacinação, com base no Plano Nacional de Vacinação. Os dados podem ser acompanhados no Portal Transparência.

Fonte: Assessoria de Imprensa- Anderson Reis

Com muito ❤ por go7.site