baner topo1
Juara – Mato Grosso
Quarta-Feira, 28 de Outubro de 2020

Bonner diz que sua “quarentena começou no ano eleitoral de 2018”

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

William Bonner participou, na madrugada desta quarta-feira (27/5), do programa Conversa com Bial. Segundo o apresentador do Jornal Nacional, ele está de quarentena desde 2018, ano da última eleição presidencial.

Após isso, Bonner disse que vem sofrendo ataques na internet e disse ter sido hostilizado por conta de política.

“As minhas bochechas mostram que a minha quarentena não começou há dois meses. Minha quarentena começou no ano eleitoral de 2018”, começou Bonner. Ele afirmou que a situação piorou após Jair Bolsonaro (sem partido) ter sido eleito presidente.

“A polarização política chegou a um ponto em que a minha presença em determinados locais públicos, como farmácias, livrarias, ou mesmo na rua, era motivadora de tensões”, explicou o apresentador.

William Bonner comentou sobre um episódio de hostilidade em uma padaria: “Em uma manhã de sábado, dentro de uma padaria no bairro da Lagoa, fui agredido verbalmente, insultado e desafiado por uma cidadã embriagada que se viu no direito de fazer isso a um palmo e meio de distância do meu rosto. Foi constrangedor para as pessoas no local e para mim. Eu me senti culpado por incomodar, com aquela situação, quem estava comendo um simples pão na chapa”.

Apesar disso, Bonner lembrou que os ataques não se valem apenas a ele. Vale lembrar que o Metrópoles e outros veículos de comunicação suspenderam a cobertura política no Palácio da Alvorada por medo de agressões. “Eu falo de mim, mas também falo de toda uma categoria profissional. Mas eu tenho consciência que sou um símbolo, eu sou o jornalismo da Globo, eu sou a mídia. Eu simbolizo muita coisa para muitas pessoas que não me conhecem”, ponderou.

Fraudes

Na última semana, Bonner foi alvo de fraudadores que usaram dados de seu filho, Vinicius, para dar entrada no pedido de auxílio emergencial de R$ 600. O mais curioso é que o valor foi aprovado.

“Meu filho tem sido alvo de estelionato há três anos desde que sofreu um acidente de carro. E alguém, acho que foi um bombeiro, pegou a habilitação dele e divulgou na internet para, supostamente, denunciar que o documento estava fora da validade”, contou Bonner. “Só que, aquela era a primeira habilitação do meu filho e ele estava dentro do prazo para pegar a próxima, inclusive com prova marcada”, explicou.

“O sujeito viu que era meu filho e quis prejudicá-lo dessa maneira. E acabou prejudicando muito porque esse documento tem rodado na internet durante esses anos. Tenho advogado constituído para ficar desfazendo empresas no nome dele”, lamentou Bonner, com lágrimas nos olhos e visivelmente emocionado.

 

Fonte: METRÓPOLES

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️