Casos de dengue em MT aumentam mais de 300% em relação a 2019; 5 pessoas morreram

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Mato Grosso registrou 17.509 casos de dengue nos três primeiros meses deste ano, conforme dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT). Em comparação com o mesmo período de 2019, quando foram 4.038 registros, houve um aumento de 333,6%. O estado está em alerta vermelho.

Conforme o boletim epidemiológico, cinco pessoas morreram neste ano por causa da doença, entre elas, uma criança de 5 anos.

Duas vítimas eram moradoras Sinop. Já as outras três eram de Lucas do Rio Verde, União do Sul e Vera.

Em 2019, ocorreram quatro óbitos em decorrência da dengue. As mortes foram em Sinop, Confresa, Primavera do Leste e São Félix do Araguaia.

Em 2020, foram notificados 17.509 casos de dengue no estado — Foto: TVCA/ReproduçãoEm 2020, foram notificados 17.509 casos de dengue no estado — Foto: TVCA/Reprodução

Em 2020, foram notificados 17.509 casos de dengue no estado — Foto: TVCA/Reprodução

De acordo com a SES-MT, o município com o maior número de casos é Sinop, com 3.258 registros, seguido de Rondonópolis com 780 notificações, Cuiabá com 288 e Várzea Grande com 54 casos da doença.

O único município que apresentou redução no número de casos foi Várzea Grande, que no ano passado havia registrado 70 casos.

Rondonópolis e Sinop, que já estão em alerta vermelho, tiveram um aumento de 776% e 602%, respectivamente. Cuiabá também aumentou em 94,5% em comparação com os três primeiros meses do ano passado.

Algumas vítimas estavam internadas no Hospital Regional de Sinop — Foto: Jean Alencar/Secom-MTAlgumas vítimas estavam internadas no Hospital Regional de Sinop — Foto: Jean Alencar/Secom-MT

Algumas vítimas estavam internadas no Hospital Regional de Sinop — Foto: Jean Alencar/Secom-MT

Vítimas

primeira morte registrada por dengue neste ano ocorreu em Sinop, no dia 19 de janeiro. Era uma paciente, de 52 anos, que passou mal e foi internada no Hospital Regional. No entanto, morreu dias depois de dar entrada na unidade de saúde.

A segunda foi no dia 31 de janeiro. Suzana de Sá Felix Martins, de 28 anos, era moradora de União do Sul. Ela estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional e o estado de saúde era considerado grave desde quando a doença foi diagnosticada.

Andressa Monalisa de Oliveira, de 24 anos, morreu por dengue em Lucas do Rio Verde — Foto: Facebook/ReproduçãoAndressa Monalisa de Oliveira, de 24 anos, morreu por dengue em Lucas do Rio Verde — Foto: Facebook/Reprodução

Andressa Monalisa de Oliveira, de 24 anos, morreu por dengue em Lucas do Rio Verde — Foto: Facebook/Reprodução

No dia 11 de março, a estudante de fisioterapia Andressa Monalisa de Oliveira, de 24 anos, morreu por dengue, em Lucas do Rio Verde. Andressa estava internada em um hospital particular da cidade.

Luciana Ferreira da Silva, de 18 anos, morreu por dengue hemorrágica em Sinop — Foto: Facebook/ReproduçãoLuciana Ferreira da Silva, de 18 anos, morreu por dengue hemorrágica em Sinop — Foto: Facebook/Reprodução

Luciana Ferreira da Silva, de 18 anos, morreu por dengue hemorrágica em Sinop — Foto: Facebook/Reprodução

Luciana Ferreira da Silva, de 18 anos, moradora de Sinop, morreu no dia 16 de março após sofrer uma parada cardíaca em decorrência da doença. A jovem havia apresentado os sintomas e procurado o hospital dois dias antes.

A última morte registrada no estado foi no dia 17 do mês passado. A vítima foi uma criança de 5 anos, moradora de Vera. Ela morreu 24 horas após ser internada em estado grave no Hospital Regional de Sorriso.

Combate à dengue: cuidados com o meio ambiente ajudam a evitar a proliferação do mosquito — Foto: Pixabay/DivulgaçãoCombate à dengue: cuidados com o meio ambiente ajudam a evitar a proliferação do mosquito — Foto: Pixabay/Divulgação

Combate à dengue: cuidados com o meio ambiente ajudam a evitar a proliferação do mosquito — Foto: Pixabay/Divulgação

Dicas para evitar a proliferação do mosquito

  • Cobrir caixas d’água, cisternas, poços e evitar entupimentos de calhas
  • Vedar com cimento os cacos de vidro nos muros que podem acumular água
  • Colocar em sacos plásticos, fechar e colocar no lixo copos descartáveis, embalagens, tampas, cascas de ovo e tudo que possa acumular água
  • Não deixar pneus expostos ao tempo, nunca permitindo acúmulo de água dentro deles
  • Usar cloro em piscinas, limpá-las com frequência e cobri-las quando não estiverem em uso
  • Limpar as bandejas externas das geladeiras e ar-condicionado
  • Esvaziar garrafas, latas e baldes. Guardá-los em local coberto
  • Guardar garrafas pet e de vidro sempre com a boca para baixo. Guardá-las em local coberto
  • Lavar semanalmente, com bucha, sabão e água corrente, os vasilhames de alimentação de animais
  • Lavar os pratinhos dos vasos de plantas e colocar areia até a borda. Evitar plantas como as bromélias, que acumulam água

Fonte: https://g1.globo.com/

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️