Daniela Mercury critica censura na Ancine durante desfile em Salvador

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Durante a passagem do bloco Crocodilo, na Barra, em Salvador, a cantora Daniela Mercury chamou a atenção do público para os cartazes de filmes exibidos nos painéis do trio que, segundo ela, sofrem censura da Ancine  (Agência Nacional de Cinema) desde o ano passado.

Com o trio parado em frente ao Farol da Barra, foram exibidos cartazes de obras como “Bacurau”, “O Animal Cordial” e “Democracia em Vertigem”, além de capas de livros como “Pedagogia do Oprimido”, de Paulo Freire, “Bufo & Spallanzani”, de Rubem Fonseca, e “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis.

“Nós somos a resistência. Não podemos nos calar diante do que está acontecendo. Por isso mesmo, peço a vocês que observem que estamos estampando os cartazes de diversos filmes que foram censurados pela Ancine”, afirmou Daniela, antes de cantar “Rainha da Balbúrdia” e seguir com o trio na Barra.

Em dezembro, a Ancine retirou cartazes de filmes de sua sede e dados sobre longas do site. Além de filmes novos, alguns clássicos também foram removidos, como “Deus e o Diabo na Terra do Sol” (1964), de Glauber Rocha, “O Bandido da Luz Vermelha” (1968), de Rogério Sganzerla, e “Cabra Marcado para Morrer” (1984), de Eduardo Coutinho.

Fonte: FRANCO ADAILTON DA FOLHAPRESS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️