baner topo1
Juara – Mato Grosso
Sexta-Feira, 05 de Marco de 2021

Defesa Civil do Mato Grosso visita Aripuanã, após grandes prejuízos da fortes chuvas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Devido às fortes chuvas da última semana, a prefeita Seluir Peixer, juntamente com sua equipe e demais autoridades, participou na manhã de segunda-feira (15) de uma reunião com representantes da Defesa Civil do Mato Grosso. O encontrou foi realizado na sala de reuniões da Secretaria Municipal de Assistência Social e adotou todas medidas de segurança necessárias para evitar a disseminação da Covid-19.

Na ocasião, o coordenador operacional de Defesa Civil, sargento Roque Cezar Machado, explicou que o foco neste primeiro momento é analisar e estudar a situação do município. “Neste primeiro momento vamos verificar aquilo que está causando transtorno para os munícipes e através de uma ação de resposta e reconstrução, tentar trazer a normalidade. Nosso objetivo aqui, em primeiro lugar, é socorrer as pessoas que foram afetadas por esse excesso de chuvas. Em segundo lugar, verificar também a questão daquilo que foi destruído em termos de infraestrutura, pois infelizmente a chuva destrói pontes e bueiros, causando prejuízo para muitas pessoas”, explica.

Ele também orientou que a gestão declare situação de emergência para que os recursos voltados para os trabalhos de recuperação e prevenção cheguem o mais rápido possível no município. “A coordenadoria municipal está encaminhando para a prefeita um parecer sugerindo que ela decrete situação de emergência no município para que nós possamos criar uma situação jurídica favorável para captação de recursos com maior celeridade. A intenção é que esse recurso para socorrer essas pessoas e para reconstruir obras que foram destruídas pelo desastre venham com maior rapidez. Obviamente existem alguns critérios técnicos que são analisados para saber se a obra realmente se enquadrou ou teve os requisitos necessários para se conseguir os recursos”, pontua.

A prefeita Seluir Peixer agradeceu a presença da Defesa Civil no município, principalmente porque eles vão conhecer de perto a realidade local. “Nós vivenciamos dias atrás uma situação bem preocupante, onde várias famílias ficaram de alguma maneira precisando muito do apoio e amparo do poder público. Essa visita é muito importante porque vem pontuar e ver em loco a real situação que nós temos repassado via telefone. Agora eles estão aqui e vendo realmente de que maneira esses problemas que o município enfrenta podem ser amenizados”, ressalta.

O coordenador da Defesa Civil Municipal, Ezequiel Souza, explicou que todo apoio e orientação estratégica neste momento é válido, pois o período chuvoso ainda não terminou. “A presença da Defesa Civil do Estado do Mato Grosso é muito importante porque eles nos orientam a trabalhar projetos focados na parte da logística para o enfrentamento da crise. O período chuvoso está começando agora e nos próximos dias, principalmente em março, devemos ter intensas chuvas e já é possível fazer uma leitura dos estragos e grandes prejuízos que ainda podemos ter. Mas o principal objetivo deste trabalho é ir ao encontro da pessoa humana, isso é, resgatar aquela tranquilidade onde a pessoa pode morar bem e viver bem”, enfatiza.

O coordenador operacional de Defesa Civil, sargento Roque, ressaltou que também é necessário um trabalho preventivo neste tipo de situação, visto que o município precisa ter resiliência com relação àquilo que pode ocorrer em suas dependências. “Muito mais importante do que respostas é você fazer ações preventivas. Será que eu não poderia ter previsto que aquilo ali poderia acontecer? Será que ali onde inundou não seria necessário uma obra preventiva, uma obra de macro ou, uma obra de macrodrenagem que pudesse minimizar os efeitos que causaram esses excessos de chuva? Aquelas pessoas onde as casas foram alagadas ou inundadas, será que elas já não estavam em área de risco? Não estou dizendo que essas pessoas estavam em área de risco, mas é importante na fase de ocupação territorial que essas pessoas estejam em um ambiente seguro, em locais que foram estudados e comprovados que não existe riscos de inundações. É uma questão preventiva, uma questão de trabalhar a resiliência no município para que quando ocorrer um excesso de chuvas se tenha o mínimo possível de pessoas em locais sujeitos a inundações e alagamentos”, ressalta.

No entanto, ele também pontuou que em algumas ocasiões chove além do esperado e não há como evitar alguns danos. “Infelizmente há períodos que chove demais e não tem como você evitar. Então se a cada 10, 20 ou 30 anos, ocorre uma chuva igual ocorreu aqui em Aripuanã, realmente é difícil de evitar esse tipo de prejuízo, mas é muito importante estar estudando e analisando realmente quais são os locais que oferecem mais risco e não ocupar aqueles locais”.

O Secretário Municipal de Infraestrutura, Adriano Silva, garantiu que as equipes estão trabalhando para fazer reparos em inúmeros pontos o mais rápido possível, no entanto, além do apoio do Governo do Estado, também é preciso que a população seja paciente. “Nós da Sinfra estamos trabalhando para tentar voltar a tranquilidade da população nos pontos mais críticos. Nós temos ainda vários locais isolados com pontes e bueiros rompidos, mas estamos dentro de um cronograma tentando resolver. A Defesa Civil vem para nos auxiliar e dar ideias e posicionamentos que podem nos levar para um caminho em que o Governo do Estado também venha a colaborar nestas reparações e traga de forma eficiente para dentro do município recursos que ajudem a devolver as estruturas rompidas por esses picos de chuvas. Peço a população um pouco de paciência, porque os pontos são longes, nós temos um município com 4 mil quilômetros de estradas e sabemos que as demandas não são poucas”, esclarece.

Fonte: Fernando Brunes/ Portal Informe

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️