Desenho revela pedido de socorro de vítima de abuso

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O advogado Hlio Passadori, que defende o suspeito Ueber Carvalho, alega convicto que seu cliente inocente. Ueber advogado e est preso h 10 dias sob suspeita de abusar de sua filha, hoje com 14 anos, durante 5 anos. Nesta sexta-feira (8) ele prestou depoimento na Deddica. "A alegao totalmente infundada, no verdadeira. uma fantasia criada possivelmente pela me da menor. A menina talvez no tenha capacidade de criar isso a, mas devido criao que teve com a me chegou a esse fim", afirma Passadori. Cliente e advogado so amigos h 23 anos, e Passadori afirma que o relacionamento com a ex-mulher era tumultuado desde o comeo. "A me da menor sempre quis complicar a vida do meu cliente e amigo particular", complementa. As investigaes correm em segredo de justia. Desenhos obtidos pelo site Olhar Direto e atribudos vtima demonstram que a menina pedia socorro. Passadori ainda diz que os desenhos no tm relao com o caso. "Isso no tem nada a ver com o meu cliente. O desenho da vida psquica da menina, da relao dela com a menina. No tem nem meno ao pai", justifica o advogado de defesa. A psicloga Daniela Mendes Piloni afirma que “o estupro uma ferida que nunca cicatriza”. “O progenitor , na teoria, algum que deveria proteger, dar segurana. Quando acontece violncia como essa, h uma quebra no psicolgico da criana”, explica. “A vtima passa a sentir culpa. A mensagem de ‘ errado, mas pode’ confunde a cabea dela. Acaba se tornando uma pessoa confusa, insegura, que tem problemas com a sexualidade”, explica a outra psicloga Sheila Arajo. Hoje, a menina tem 14 anos de idade. “Quanto mais tempo acontece o abuso, pior as consequncias. E quando acontece no seio familiar, nessas circunstncias, muito mais danoso para a sade fsica e mental, do que algo pontual”, complementa Sheila. Entenda o caso O advogado Ueber Carvalho, de 46 anos foi preso no dia 29 de junho, suspeito de ter abusado da prpria filha. A me da menina procurou a polcia e fez a queixa, depois que a filha disse que "queria ter relao homossexual porque tinha averso a homens". A me encontrou todos os relatos no dirio da adolescente e em conversas pelo aplicativo whatsapp. Onde ela contava que o pai sempre acariciava ndega e as partes ntimas. Os pais so separados h mais de dez anos e o abuso comeou quando a menina tinha 9 anos de idade. Os crimes aconteciam sempre aos fins de semana, quando a adolescente ia para a casa do pai.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️