Juara – Mato Grosso
Quinta-Feira, 11 de Agosto de 2022

Comerciante denuncia ao MP o processo eleitoral da mesa diretora do Conseg em Juara

No dia 23 de março de 2022, no período noturno, no plenário da Câmara de vereadores de Juara, aconteceu a eleição dos novos membros da diretoria do Conselho Comunitário de Segurança Pública (CONSEG) de Juara.

A disputa da nova mesa diretora e a eleição seria por aclamação entre os presentes então, somente dois interessados ao cargo de presidente se manifestaram: o empresário Gleidson Rodrigues e (para reeleição) Aparício Cardoso. Após contagem dos eleitores feitos pela comissão eleitoral, foi apontado como vencedor, a reeleição de Aparício Cardozo no cargo como presidente.

Sobre a condução da eleição, algumas pessoas ficaram descontentes e protocolaram denúncias, que estão em investigação pelo MP, e que em breve, deverá dar um parecer.

Em entrevista rádio Tucunaré, o comerciante Gleidson de Almeida Dias, no dia 14 de abril, relatou que protocolou uma denúncia no Ministério Público de Juara, questionando a condução da eleição do CONSEG. Na sua interpretação, a eleição não foi bem conduzida, com irregularidades e como foi candidato, pediu ao MP que verifique a questão da transparência do processo eleitoral que ocorreu.

Gleidson disse, que foi convidado para estar no local por um dos membros do Conselho e num primeiro momento, não pensava em ser candidato, mas ao chegar na Câmara e assistindo aos vídeos de apresentação dos trabalhos no Conselho, muitas pessoas que estavam no recinto também não conheciam o trabalho do CONSEG, mas agora conhecem. Ele disse que admira muito o trabalho realizado pelo Conselho, mas era uma eleição que tinha um candidato único e por isso decidiu colocar seu nome.

Segundo Gleidson, o condutor da cerimônia professor Oséias, consultou entre os presentes, quem gostaria de ser candidato a Presidente, pois havia apenas um candidato e assim, decidiu erguer o braço, porque entende que uma eleição precisa ter dois ou mais candidatos e por isso deu seu nome para concorrer.

Após os pretendentes darem os nomes para eleição acontecer por aclamação, que foram oito interessados ao todo, o professor Oséias sugeriu que ficasse para outro dia a eleição, foi nesse momento, que o atual presidente, que disputava a reeleição, retirou o seu nome da disputa e falou para o público, que não mais iria disputar e que estaria se retirando. Em seguida, o professor Oséias mudou de ideia e anunciou então, a eleição para aquele momento em atendimento ao pedido do presidente.

Ocorre que, a eleição aconteceu então de forma tumultuada na sua opinião, porque ao anunciar o adiamento da eleição, muitas pessoas se retiraram do local, outras entenderam, que apenas os membros do Conselho votariam e outros estavam em pé na porta, enfim ninguém sabia exatamente quantas pessoas tinham no ambiente e não foi anunciado os números de votantes e por isso, entendeu que o processo foi muito confuso. “não sou eu que estou falando, são várias pessoas e tem denúncias em relação à eleição e não ao conselho“, disse.

Teve até pessoa que segurou o braço de eleitor e isso pode ser visto nos vídeos. Nem eleição de grêmio estudantil foi tão bagunçada igual foi essa eleição!”, disse Gleidson.

Diante desse episódio, o empresário decidiu registrar uma denúncia na própria comissão de eleição do CONSEG e recebeu como resposta, que a eleição aconteceu dentro da regularidade e depois disso então, protocolou uma denúncia no Ministério Público. (Veja Aqui: DENUNCIA GLEIDSON)

Para fazer a denúncia Gleidson solicitou ao Conselho, uma cópia do Estatuto, cópia da ATA da eleição e as movimentações financeiras do último biênio e o Conselho forneceu somente a cópia do Estatuto e os demais documentos solicitados lhe foram negados.

Para o comerciante, não poderiam sonegar documentos a população e por isso relatou tudo em sua denúncia e vai aguardar a decisão da justiça.

Ele não sabe dizer quantas denúncias via online aconteceram vinda de outras pessoas, mas teve a informação que várias pessoas questionaram e protocolaram denúncias online.

Eu não sei se eles estavam preparados para aparecer outro candidato e até eu dar o nome estava tudo beleza, depois que eu dei o nome para concorrer aconteceram vários fatos ali”, disse.

Ao encerrar a entrevista Gleidson disse, que gostaria de deixar bem claro, que não está querendo incomodar ninguém, mas quer que as eleições sejam feitas às claras e denunciou juntamente com as outras pessoas que se sentiram lesadas, mas se o promotor entender que vai manter este presidente, vai respeitar.

A Rádio Tucunaré procurou alguns membros do Conselho para caso quisessem, pudessem se manifestar sobre essa denúncia, mas até o fechamento dessa matéria, o departamento de jornalismo não recebeu nenhum comunicado de interessados em responder ou declarar a suas versões.

Ouça entrevista

Fonte: Rádio Tucunaré e Acesse Notícias

Com muito ❤ por go7.site

Usamos cookies em nosso site para fornecer uma experiência mais relevante, lembrando suas preferências e visitas repetidas. Ao clicar em “Aceitar”, você concorda com a utilização de TODOS os cookies. Leia nossa Política de Privacidade na íntegra.