Juara – Mato Grosso

24 de julho de 2024 12:19

Mais um Patriota Juarense acusado pelo STF de cometer atos antidemocráticos volta para a prisão

Em primeira mão, a Rádio Tucunaré obteve informações exclusivas sobre a prisão de mais um patriota juarense, Ayrton Serafim, na tarde do dia 07 de julho. A notícia foi confirmada pela advogada criminalista Silvia Giraldelli, que concedeu uma entrevista detalhando as circunstâncias da detenção.

O Patriota Juarense Ayrton Serafim acusado pelo STF de cometer atos antidemocráticos no dia 08 de janeiro de 2022, voltou para a prisão nesse dia 08, oito dias após outro juarense ser preso novamente também.

Agora são três juarenses em situação difícil: dois que retornaram a prisão  e uma acusada que virou ré. 

Leia: Erro no sistema de Monitoramento Leva Patriota de Juara de Volta à Prisão, diz Advogada

Circunstâncias da Prisão

Ayrton Serafim, de 52 anos, foi preso ao se apresentar no fórum local. Segundo a advogada Silvia Giraldelli, a prisão ocorreu devido à revogação das medidas cautelares por parte do ministro responsável pelo caso. A alegação principal para a revogação foi que a tornozeleira eletrônica de Serafim estava desativada.

Ayton está empregado, como sempre esteve, pois é operador de máquina e portanto, estava morando na propriedade rural onde trabalha e foi se apresentar como normalmente fazia, pois sabia de suas obrigações com a justiça, mas para sua surpresa, havia um mandato de prisão para ele e foi surpreendido por não saber o motivo.

Sílvia explicou, que Serafim enfrentou um imprevisto enquanto trabalhava, resultando na queda do seu celular em um rio, o que pode ter causado a desativação da tornozeleira. “Provavelmente, no momento em que tentaram entrar em contato com ele, Ayrton estava sem celular, impossibilitando a comunicação,” disse a advogada.

Contexto Legal

Ayrton Serafim foi um dos participantes das manifestações políticas em Brasília no dia 8 de janeiro de 2022, e estava em liberdade condicional, utilizando tornozeleira eletrônica há um ano e seis meses. Silvia Giraldelli destacou que, caso Serafim seja condenado no inquérito 4921, ele poderá pegar uma pena de um ano e um mês. “Ele já cumpriu a pena de forma errada, pois está com tornozeleira há mais tempo do que a pena prevista,” argumentou a advogada.

Medidas Legais e Próximos Passos

Após a prisão, foi realizada uma audiência de custódia, e agora o Ministério Público está analisando o pedido de liberdade feito pela defesa de Serafim. Ele está na cadeia de Juara.

O caso será encaminhado ao ministro Alexandre de Moraes para decisão final. A advogada Silvia Giraldelli ressalta que a situação de Ayrton Serafim é questionável, considerando o tempo que já passou com a tornozeleira.

A Rádio Tucunaré continuará acompanhando o caso de perto e trará atualizações sobre o desenrolar do processo e a situação de Ayrton Serafim.

Fonte: Rádio Tucunaré e Acesse Notícias

Parceiros e Clientes

Entre no grupo Acesse Notícias no Whatsapp e receba notícias em tempo real.

Mais recentes

Siga-nos

Feito com muito 💜 por go7.com.br