Juara – Mato Grosso

18 de abril de 2024 09:25

[dataehoranews]

Retirada da vacina contra Aftosa foi feita mediante diversos estudos diz médica veterinária do Indea de Juara

Depois de 30 anos em que anualmente por 02 (duas) vezes em cada ano, os pecuaristas eram obrigados a vacinar seu rebanho bovino contra a Febre Aftosa, veio a grande vitória em 2023, quando a vacinação deixou de ser obrigatória nos estados brasileiros.

Em 2023 aconteceu a retirada da vacinação contra Febre Aftosa, um papel fundamental para os pecuaristas em Mato.

O Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), unidade de Juara através da médica veterinária, Dra, Ana Luiza explicou como se deu a retirada da imunização e o encerramento oficialmente da Campanha.

A doença, que trouxe impacto financeiro na pecuária brasileira e passou a ser erradicada por etapas até que em Mato Grosso, e a vacinação do rebanho iniciou-se a partir de 1992, e que foi determinante para o combate à doença.

Para ganhar um novo status sanitário de ser livre de febre aftosa sem vacinação, foram feitos diversos estudos com coleta de e soro de vários bovinos e enviados ao Laboratório de alta capacitação técnica, onde foi detectado que o vírus não está mais circulando, e diante da ausência viral comprovada, não tem porque o produtor ter gasto.

A veterinária, Ana Luiza disse que a febre aftosa é uma doença infecciosa aguda,  de curta duração, cerca de 02 a 03 semanas, e essa zoonose pode ser causada por 07 sorotipos diferentes.

Os animais mais suscetíveis a essa doença são os bovinos, ovinos, suínos e caprinos.

Os principais sintomas da febre aftosa são as aftas e úlceras na boca e pés de animais de casco fendido, mas, é importante ressaltar que cada espécie pode apresentar indícios diferentes, e por essa razão, é importante estar sempre atento a todos os sinais, conforme disse a veterinária, Ana Luiza.

Ela explicou que nos bovinos, a febre aftosa normalmente vem acompanhada de:

Febre;

Inquietação;

Tremores;

Salivação;

Redução da produção de leite;

Dor ao ordenhar ou amamentar;

Dificuldade de mastigar e engolir;

Emagrecimento.

Fonte: Radio Tucunaré/ Acesse Noticias /Soan de Barros

Parceiros e Clientes

Entre no grupo Acesse Notícias no Whatsapp e receba notícias em tempo real.
Feito com muito 💜 por go7.com.br