baner topo1
Juara – Mato Grosso
Quarta-Feira, 20 de Janeiro de 2021

Dieta rica em gordura e risco de câncer colorretal

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O câncer colorretal é muito comum. Além da genética e da idade, uma alta ingestão de gorduras aumenta o risco de desenvolvê-lo. Saiba mais neste artigo.

Você sabia que uma dieta rica em gordura pode aumentar o risco de câncer colorretal? Dos fatores que predispõem ao desenvolvimento dessa patologia oncológica, a alimentação é a única modificável. Por isso, é essencial conhecer algumas diretrizes nutricionais para prevenir esta doença.

Só em 2018, 3,9 milhões de casos de diferentes tipos de câncer foram diagnosticados na Europa, dos quais o câncer colorretal foi um dos principais. Continue lendo e saiba mais sobre esse tema.

O risco de câncer colorretal e uma dieta rica em gordura

Entre os fatores que contribuem para o surgimento dessa doença, a dieta desempenha um papel fundamental. Nesse sentido, as gorduras saturadas são o principal componente relacionado ao aumento do risco.

Inúmeros estudos epidemiológicos as implicaram diretamente no desenvolvimento de certos tipos de câncer, especialmente mama, cólon, reto, próstata e ovários. O que determina a incidência final é a qualidade da gordura, além da sua contribuição calórica. Acreditamos que a “pior parte” da gordura é o fato de que ela nos faz ganhar peso, mas seu risco para a saúde é muito mais relevante do que isso.

Diversas hipóteses foram propostas para explicar os mecanismos do efeito promotor da gordura sobre o câncer colorretal. Estas incluem o aumento da concentração de co-carcinógenos, como ácidos biliares secundários no cólon, por parte dos ácidos graxos ômega-6. Estes induzem a multiplicação celular e geram uma resposta inflamatória local.

As gorduras saturadas são as que mais influenciam, pois estimulam a formação de tumores. Estudos mostraram que a manutenção de uma dieta rica nesses compostos, predominante em países ocidentais, causa lesões no cólon.

Alimentos embutidos e câncer
Os embutidos são alimentos processadas associados ao risco de câncer colorretal.

Leia também: Alimentos proibidos para quem tem níveis altos de ácido úrico

Prevenção do câncer colorretal por meio da dieta

Várias pesquisas mostraram uma menor incidência de vários tipos de câncer na área do Mediterrâneo Europeu em comparação com o norte da Europa e os Estados Unidos. Isso ocorre porque a maior parte da gordura consumida nos países do Mediterrâneo é a do azeite de oliva, no qual predomina o ácido oleico. Em contraste, nos outros, o tipo poli-insaturado ômega 6 é comum.

O efeito protetor do alto consumo de fibras alimentares no desenvolvimento do câncer colorretal também foi demonstrado. Um estudo publicado em 2018 encontrou uma redução de 42% na probabilidade de desenvolvê-lo entre os consumidores regulares de todos os tipos de fibras, tanto cereais quanto vegetais.

Saiba mais: Como está o seu consumo de fibras?

O que pode causar esse tipo de câncer?

O aparecimento do câncer colorretal causa alterações nesses órgãos do final do trato digestivo. Com isso, o metabolismo alimentar pode ser difícil. Aqui estão as características mais comuns naqueles com a patologia:

  • Mudanças nos hábitos intestinais, como prisão de ventre, diarreia ou fezes estreitas. Essas modificações vão desde momentos de prisão de ventre até momentos de alta frequência dos movimentos intestinais.
  • Presença de sangue nas fezes, que às vezes podem ser pretas ou marrons escuras.
  • Sangramento do reto, na forma de pequenas gotículas vermelhas, especialmente quando o câncer está na região inferior.
  • Sentir que o intestino está cheio, mesmo depois de evacuar.
  • Cólicas ou dor abdominal. É intermitente e sem um ritmo particular que lhe permita ser distinguida de outras dores clínicas. A dor pode confundir o diagnóstico com cólon irritável, divertículos e pólipos benignos.
  • Fadiga inexplicável e perda de peso.
  • Anemia, como uma descoberta secundária e acidental. Um exame de sangue detecta o baixo número de glóbulos vermelhos ou hemoglobina, e após uma pesquisa aprofundada a perda no sistema digestivo é encontrada.
Mulher com problemas intestinais
O câncer colorretal tem sintomas variados, incluindo uma dor abdominal difícil de diagnosticar.

O câncer colorretal é evitável e curável

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) indica que o câncer colorretal ocupa o quarto lugar entre as causas de morte por tumor na região das Américas. Todos os anos, 96.000 pacientes que o têm morrem. A mesma organização afirma que esse tipo de câncer pode ser prevenido por meio da redução de fatores de risco e prevenção secundária.

Recomenda-se iniciar o controle na população de risco, ou seja, a partir dos 50 anos, e continuar em intervalos regulares até os 75 anos. Os testes de triagem disponíveis para o câncer colorretal incluem um exame de sangue oculto nas fezes, sigmoidoscopia e colonoscopia.

A melhor prevenção dessa patologia é uma dieta rica em fibras dietéticas e baixa em gorduras saturadas de carnes vermelhas e seus derivados. Além disso, é importante praticar exercício físico e iniciar um programa de redução de peso caso seja necessário.

Isso permite identificar comportamentos que podem ser modificados preventivamente, principalmente em pacientes que acumulam maiores fatores de risco, como obesidade e gordura abdominal. Uma consulta nutricional não é suficiente para estabelecer parâmetros na definição de horários, tipos e modalidades de consumo dos alimentos.

7 sinais precoces de câncer colorretal que não se deve negligenciar

7 sinais precoces de câncer colorretal que não se deve negligenciar

Embora os sintomas do câncer colorretal possam indicar doenças menos graves, é aconselhável buscar um especialista caso apresente dois ou mais deles.

Fonte: https://melhorcomsaude.com.br/

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️