baner topo1
Juara – Mato Grosso
Sexta-Feira, 17 de Setembro de 2021

Reforma tributária preocupa setor comercial de Juara devido aumento de impostos ao invés de redução.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
04/08/2015 - PORTO ALEGRE, RS, BRASIL - Matéria sobre o parcelamento dos servidores pelo governo Sartori. tags: dívida, contas, financeiro, finanças, banco, dinheiro. Foto: Guilherme Santos/Sul21

O contador e empresário de Juara, Diorges Mariano, esteve reunido nesta segunda-feira (26/07) na CDL-Câmara de Dirigentes Lojistas, na Capital do Estado, Cuiabá, com o vice Presidente Sr. Nelson Soares e o Consultor Jurídico Dr Peron, para discutir assuntos relacionados a reforma tributária, que está em discussão na Câmara dos Deputados.

Diorges disse, que procurou a entidade após se inteirar dos assuntos previstos no texto, que foi encaminhado pelo Ministério da Economia ao Congresso Nacional, e de acordo com sua interpretação, em resumo, deve aumentar os impostos e os preços finais de praticamente todos os produtos oferecidos ao consumidor. “A proposta prevê diminuir o IRPJ de 15% para 10%, porém prevê a criação de um novo imposto: a tributação dos lucros e dividendos em 20%. Ou seja, não existe redução, mas sim acréscimo. E o maior prejudicado, de forma indireta será o consumidor que sentirá o repasse desse novo imposto em todas as mercadorias que for adquirir.” – disse.

Outro assunto em pauta foi a correção da tabela de imposto de renda pessoa física, também prevista na reforma: “O governo está aumentando a faixa de isenção e corrigindo as tabelas, porém está excluindo a possibilidade de opção pelo desconto simplificado. No meu escritório 90% das declarações de imposto de renda de contribuintes dos mais diversos segmentos são por essa modalidade, ou seja, suprimindo essa alternativa o contribuinte vai pagar mais imposto. O que será reduzido com a correção da tabela será compensado pela obrigatoriedade de entregar a declaração pela modalidade de deduções legais, sem a opção do desconto simplificado. Tanto nesta proposta quanto na redução do IRPJ e tributação dos dividendos, ao meu ver o governo não está diminuindo, mas sim aumentando impostos.”

Por fim, foi levantado também pelo contador a necessidade de se corrigir as tabelas do simples nacional, pois os limites das ME, EPP e MEI’s não são reajustados desde 2018 e o sub-limite do estado de Mato Grosso desde 2017. “Apresentei dados de como os preços das mercadorias subiram e de como isso faz as empresas pagarem mais imposto, pois no SIMPLES, quanto maior o faturamento, maior a sua alíquota de imposto, ou seja, como os produtos subiram muito, principalmente por conta da pandemia, as empresas estão vendendo menores quantidades de produtos e representando um faturamento maior, pagando mais imposto, muita das vezes desenquadrando do regime tributário por ultrapassar o limite. Esses assuntos não são uma luta só do empresariado, mas de toda a população, pois é a população quem sente os preços mais caros nas prateleiras. Eu não tenho visto comerciantes e a população em geral se manifestar quanto a estes temas que estão hoje em pauta e impactarão diretamente nas vidas de todos nós e se aprovada e sancionada essa proposta de reforma, por isso resolvi procurar a CDL e fui muito bem recebido e vi que a entidade está fazendo o seu papel, lutando para que as coisas caminhem da melhor maneira possível, mas precisamos nos mobilizar e somar forças para que a proposta não passe desse jeito”, encerrou.

Fonte: Diorges Mariano

Com muito ❤ por go7.site