baner topo1
Juara – Mato Grosso
Sábado, 31 de Outubro de 2020

Eduardo Cunha renuncia à Presidência da Câmara

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O presidente afastado da Cmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciou nesta quinta-feira (7) sua renncia ao comando da Casa. Cunha destacou o "protagonismo e a independncia" da Cmara durante o seu mandato e informou que deixou o posto porque a "Cmara no suportar esperar indefinidamente" sobre seu futuro. — Ao completar 17 dos 24 meses do meu mandato como presidente, dois meses de afastamento do cargo e ainda estando no recesso forense do Supremo Tribunal Federal, em que no existe qualquer previso de apreciao dos recursos do meu afastamento, resolvi ceder aos apelos generalizados dos meus apoiadores. pblico e notrio que a Casa est acfala, fruto de uma interinidade bizarra. Cunha destacou pautas votadas durante a sua gesto, como a "reforma poltica, terceirizao de mo de obra, reduo da maioridade penal, PEC da bengala, estatuto do deficiente, pautas de segurana pblica, correo do FGTS", classificadas por ele como "alguns dos importantes temas votados na minha gesto". Disse ainda que a Cmara sofre instabilidade. — Somente a minha renncia poder pr fim a essa estabilidade sem prazo. A Cmara no suportar esperar indefinidamente. Pedido de Impeachment Cunha apontou o aval para a abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff como a principal causa para o seu afastamento. O peemedebista disse que o governo da petista, "alm de ter praticado crime de responsabilidade, era inoperante e envolvido com prticas irregulares". Cunha disse que a autorizao da ao "foi o marco da minha gesto, que muito me orgulha e jamais ser esquecido". — Sofri e sofro muitas perseguies em funo das pautas adotadas, e estou pagando um alto preo por ter dado incio ao impeachment. No tenho dvidas, inclusive, que a principal causa do meu afastamento reside na conduo desse pedido de impeachment da presidente afastada. Cunha assumiu o comando da Cmara em 1º de fevereiro de 2015 ao vencer uma eleio com os deputados Arlindo Chinaglia (PT-SP), Jlio Delgado (PSB-MG) e Chico Alencar (PSOL-RJ). Investigado pela Operao Lava Jato, por manter contas na Sua, Cunha foi alvo de um processo no Conselho de tica da Casa, que votou pela sua cassao. O caso sobre a cassao de Cunha ainda est na CCJ (Comisso de Constituio e Justia) e precisa de maioria simples dos 66 deputados do colegiado. Depois, se aprovado, vai a plenrio da Cmara. Choro Quando falou sobre as acusaes que sofre, especialmente como alvo da Lava Jato por suposto recebimento de propina de contratos da Petrobras, Cunha se emocionou. Ao falar da sua famlia, especialmente da mulher, Claudia Cruz, e da filha, Danielle Cruz, o agora ex-presidente da Cmara chorou. — Reafirmo que no recebi nenhuma vantagem indevida por quem quer que seja. Quero agradecer a Deus pela oportunidade de presidir a Cmara dos Deputados do meu Pas. […] Quero agradecer ao meu partido, quero agradecer a todos que meu apoiaram e me apoiam em meio a essa perseguio e vingana de que sou vtima. Quero agradecer especialmente a minha famlia [choro], que os opositores no tiveram o mnimo respeito, atacando de forma covarde, especialmente a minha mulher e a minha filha mais velha, de forma cruel, tentando me atingir. Em seguida, mirou para a presidente da Repblica afastada, Dilma Rousseff (PT), ao dizer que tem "a conscincia tranquila no s da minha inocncia bem como de ter contribudo para que meu Pas se tornasse melhor", por ter livrado a nao do "criminoso governo do PT". Cunha foi alm e classificou a de "criminosa e desastrada gesto que tanto dio provocou na sociedade brasileira, deixando legado de 13 milhes de desempregados e descontrole das contas pblicas". Processo Eduardo Cunha recorreu CCJ contra a deciso do Conselho de tica alegando que houve irregularidades no processo: cerceamento do direito de defesa; aditamento de denncias sobre novas contas no exterior; e parcialidade do presidente do conselho, deputado Jos Carlos Arajo (PR-BA); entre outras. Em junho, o conselho aprovou, por 11 votos a 9, o parecer do deputado Marcos Rogrio que concluiu que Cunha mentiu em depoimento na Comisso Parlamentar de Inqurito (CPI) da Petrobras, em maio de 2015, sobre a existncia de contas bancrias de sua propriedade no exterior. Aps a deciso, Eduardo Cunha afirmou, em nota, que o processo foi todo conduzido com parcialidade e nulidades gritantes. Ele alega que no mentiu CPI, pois no era proprietrio de conta, e sim beneficirio de um truste.

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️