Em três meses de 2020, arrecadação do Estado cresce 12%

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Mesmo mantendo o discurso de corte de gastos, o governo vem aumentando a arrecadação do Estado nos três primeiros meses de 2020 em comparação com igual período de 2019. A média de aumento na arrecadação é de quase 12% a mais, como ocorreu no ano passado, quando alcançou R$ 29,9 bilhões, superando os R$ 27,5 bilhões do último ano da gestão Pedro Taques (PSDB), e alcançando R$ 850 milhões de superavit.

Se comparmos os três primeiros meses de 2019 com os três primeiros meses deste ano, os números mostram que Mato Grosso tem condições de suportar a crise deflagrada pelo coronavírus, mesmo com o governador decretando estado de calamidade pública sob alegação de possível queda de receita. Em janeiro de 2020 ingressaram nos cofres públicos, R$ 2,28 bilhões e após as reduções houve uma sobra da ordem de R$ 1,6 bilhão.

Se comparados com o ano de 2019, já sob o comando do governador Mauro Mendes e sua equipe, teríamos um montante total de R$ 1,8 bilhão em receitas arrecadadas e R$ 1,2 bilhão já com as reduções. Comparando as receitas de 2019 com 2020 referentes aos meses de janeiro, teríamos uma arrecadação a maior da ordem de R$ 420,3 milhões em valores totais e R$ 332,2 milhões em valores com as reduções apenas em um único mês do ano.

Já em fevereiro, Mato Grosso arrecadou R$ 2,4 bilhões no total, e R$ 1,8 bilhão com as reduções que nada mais são do que repasses que acabam ajudando o próprio Executivo, pois com estes recursos são pagos salários dos Poderes Judiciário, Legislativo, Tribunal de Contas, Ministério Público e Defensoria Pública, além de outras despesas como dos municípios que realizam obras e de entidades públicas que atendem as demandas da população. O mês de março, mesmo com parte dele em meio a crise do coronavírus, também sinaliza com valores a maior, tanto que ainda faltam dois dias de arrecadação plena, na sua maioria dias de grande movimentação por se tratar de fechamento de mês, mas ainda sem reflexos por causa do fechamento do comércio.

Até sexta-feira passada já haviam ingressado nos cofres públicos do Tesouro de Mato Grosso, R$ 2 bilhões e R$ 1,5 bilhão com as reduções. Se compararmos com 2019, teremos um saldo negativo, pois o mês de 2019 fechou com R$ 2,1 bilhões, mas lembrando que ainda faltam dois dias de arrecadação para fechar este mês de 2020 e 1.51 bilhão em 2019 contra R$ 1,580 bilhão, portanto, com as reduções e comparando ambos os anos já se percebe que a arrecadação será maior, mantendo o mesmo ritmo de crescimento.

Apesar das receitas estarem sempre superavitárias e o Estado ter conseguido a renegociação de pouco mais de US$ 500 milhões, reduzindo de forma considerável o desembolso para o governo Federal durante o ano todo, as despesas do Executivo Estadual também estão em alta, principalmente a maior delas, a previdenciária e os salários

Fonte: folhamax

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️