Estupros de menores de 12 anos aumentam 38,6%

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Entre janeiro e junho de 2015 em relao ao mesmo perodo deste ano, o nmero de estupros de crianas menores de 12 anos aumentou 38,6%. No primeiro semestre foram 355 registros, contra 456 at aqui. Somando o total de denncias feitas entre 2011 e 2015 o aumento de 64% para a mesma faixa etria. O levantamento da Secretaria de Estado de Segurana Pblica (Sesp). Os noticirios refletem a gravidade dos nmeros . Realmente, as reportagens nos veculos de comunicao sobre o tema esto cada vez mais frequentes. Inclusive, elas demonstram que os crimes incidem em todas as classes sociais. Os ndices so altos e preocupantes, mas dizem respeito apenas aos crimes registrados, por isso “no representam a realidade”. Conforme Eduardo Botelho, delegado titular da Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criana e do Adolescente (Deddica), que garante: os nmeros na verdade so bem maiores. “Esses nmeros podem ser avaliados de duas formas: o simples aumento, mas, alm disso, as pessoas esto se encorajando cada vez mais a denunciar”, afirma Botelho. Muita gente prefere omitir o fato pelo constrangimento causado vtima e famlia. Entretanto, o delegado incentiva a denncia mesmo com os pormenores. “99% dos estupros de vulnervel no deixam testemunhas. Porm, investigar esses casos mais fcil do que investigar, por exemplo, crimes de colarinho branco ou homicdios”, esclarece. O delegado de polcia ainda afirma que o constrangimento ainda maior porque os abusos esto atrelados a familiares e conhecidos da vtima e famlia. “Quase todos os estupros so praticados por pessoas prximas s crianas, familiares, amigos de familiares, professores. Em razo dessa proximidade, muitas vezes ela prefere no contar. Ou acuada, s vezes no tem noo de que aquilo errado, pode pensar que algo de ruim vai lhe acontecer”, afirma Botelho. Ele ainda explica que quanto mais nova a criana, menor resistncia ter no ato violento. difcil explicar o que se passa na cabea de vtimas to jovens, porque cada crime tem a sua histria. A psicloga Sheila Arajo afirma que, na maioria das vezes, “a vtima passa a sentir culpa. A mensagem de " errado, mas pode' confunde a cabea dela. Acaba se tornando uma pessoa confusa, insegura, que tem problemas com a sexualidade”.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️