Hong Kong vive 1° dia sem novos casos locais de covid desde julho

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

 

As autoridades de Hong Kong informaram nesta terça-feira (15) que não foram registrados casos de transmissão local de covid-19 nas últimas 24 horas, sendo a primeira vez que isso acontece desde o início da terceira onda de infecções, em julho.

De acordo com o último relatório do Centro de Proteção à Saúde da cidade semi-autônoma chinesa, os únicos quatro novos casos detectados são “importados”, ou seja, pessoas que chegaram de outros países.

Com apenas quatro infecções em 24 horas, este também é o menor número de novos casos desde 30 de junho, pouco antes da terceira onda, quando apenas dois importados foram registrados, aponta o jornal local South China Morning Post.

Leia também: Mundo chega a 29 milhões de casos de covid-19

Até aquele momento, havia apenas cerca de 1.200 casos de covid-19 na cidade, mas aquela maré de infecções elevou drasticamente esse número, que atualmente é de quase 5.000, com 101 mortes.

No entanto, de acordo com dados oficiais, nas últimas duas semanas o número de novas infecções detectadas representa apenas 3,2% do total, o que mostra que a taxa de propagação do vírus está, pelo menos por enquanto, controlada.

Desta forma, o governo local decidiu hoje flexibilizar ainda mais as medidas de prevenção do contágio, e permitirá que bares, parques temáticos, karaokês, centros de exposições, discotecas e piscinas reabram suas portas a partir da próxima sexta-feira (18).

No que diz respeito ao uso de máscaras, a regra que obrigava sua utilização também em ginásios ou instalações desportivas será abrandada, embora nas restantes áreas públicas continue a ser obrigatória.

Porém, o governo manterá a proibição de reuniões públicas com mais de quatro pessoas e ainda não vai permitir que as praias voltem a ser abertas ao público.

A secretária de Saúde local, Sophia Chan, disse hoje que as medidas de distância social não serão encerradas até o fim da pandemia e descartou que isso aconteça até que uma vacina eficaz seja encontrada.

De acordo com a televisão pública RTHK, Chan também alertou para a possibilidade de uma quarta onda de infecções ocorrer na ex-colônia britânica durante os meses do inverno asiático.

 

Fonte: R7

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️