Juara – Mato Grosso
Terca-Feira, 20 de Fevereiro de 2024

Delegado de Juara explica que internet não é terra sem lei e as consequências para quem pratica ações criminosas através dela

Foto Canva premium

Após a notícia de que a justiça determinou o encaminhamento do menor que causou pânico em escola de Juara, o delegado de polícia faz um importante alerta a todos os cidadãos, que acreditam de forma equivocada, que a internet seja uma “terra sem lei”.

Em entrevista à Rádio Tucunaré, o delegado Dr Eric Fantin, ao narrar o fato de a justiça ter determinado a condução do menor para a internação em unidade socioeducativa em Cuiabá por 45 dias, fez questão de frisar e orientar a população, pois todas as ações que ocorrem via internet são passíveis de investigação, embora muitos acreditem que estão imunes.

Avisem os seus filhos:

1°- internet não é terra sem lei

2° – mesmo você sendo menor de idade, aquilo que você diz na internet tem consequências jurídicas”, disse.

Com essas palavras o delegado iniciou a explicação sobre o acesso total, que a polícia tem a todo e qualquer cidadão, que faz uso da internet para se manifestar.

O delegado orienta, que todo e qualquer jovem que fizer algo semelhante ao que este jovem de Juara fez arcará com as consequências.

Como 3° item de sua explanação, ele ressalta que, o que aconteceu com o menor, também serve de exemplo para a sociedade e demais adolescentes, que acreditam estarem imunes, fato que não é verdade e toda ação será combatida por suas consequências jurídicas. “Então, se não quiser ficar 45 dias no centro socioeducativo de Cuiabá, preste mais atenção, tenha mais responsabilidade, respeite os professores, respeite seus pais e respeite as demais autoridades“, disse.

Dr Eric reforçou que o menor entendeu que ele estava fazendo uma brincadeira e que não tinha de fato a intenção de praticar nenhum ato criminoso, mas o simples fato de fazer essa “brincadeira”, como o jovem acreditava, tocando terror na cidade, para a polícia isso não é uma brincadeira e só isso já traz consequências, explicou.

O delegado aproveitou para tranquilizar a sociedade, porque a polícia está acompanhando todos os fatos que surgirem relacionados a esse tema e que podem ficar tranquilos, pois não existe nada de concreto e os pais devem encaminhar os filhos para a escola. Ele também tem filhos e está levando seus filhos normalmente as escolas desde o primeiro dia, fez questão de destacar.

Vocês são responsáveis pelo que vocês falam e pelo que vocês fazem”, disse. Inclusive o celular do menor foi apreendido e se voltar deve demorar por volta de 60 dias e portanto, “se você não quer perder o seu celular tenha mais responsabilidade com o que você fala na internet“, alertou o delegado.

O delegado Eric Fantin explicou, que ninguém fica anônimo na internet, porque a polícia civil possui um departamento especializado em crime cibernéticos e sempre que precisam de apoio nesse sentido, as investigações são encaminhadas para este setor e com os mecanismos certos, conseguem localizar de que dispositivos saiu a mensagem, onde que a pessoa estava no momento em que mandou a mensagem e quem é o autor da mensagem e mesmo que essa identificação demore alguns dias, a polícia vai identificar o autor e será responsabilizado, por eventuais crimes que cometer.

Juara está tranquila não existe nenhum tipo de ameaça concreta nas escolas e por isso não há necessidade de propagar notícias falsas que propagam o pânico. Aqueles que compartilham notícias sem averiguação podem ser arrolados e portanto, antes de compartilhar uma notícia, precisam ler analisar pesquisar, concluir a autoridade policial.

Fonte: Rádio Tucunaré e Acesse Notícias

Parceiros e Clientes

Entre no grupo Acesse Notícias no Whatsapp e receba notícias em tempo real.
Feito com muito 💜 por go7.com.br