baner topo1
Juara – Mato Grosso
Sexta-Feira, 30 de Julho de 2021

Júri de dois acusados de matar prefeito de Colniza é marcado para 16 de Setembro de 2021 em Juara

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

A Justiça Criminal de Juara marcou para o dia 16 de setembro o júri popular de Yana Fois Coelho Alvarenga e Antônio Rodrigues Pereira Neto, acusados pelo assassinato do prefeito de Colniza (700 quilômetros de Sinop), Esvandir Antonio Mendes. A vítima foi assassinada a tiros em Colniza, em dezembro de 2017.

No ano passado, o Ministério Público do município pediu o desaforamento (mudança de lugar) do julgamento. A Promotoria argumentou que o “interesse da ordem pública e a dúvida na imparcialidade dos jurados não possibilitam o julgamento justo na Comarca de Colniza”. O MPE afirmou também que os crimes imputados a Yana e Antônio tiveram enorme repercussão estadual e nacional, o que colocava em xeque a imparcialidade do julgamento. O MP enfatizou ainda que, em novembro de 2019, vários jurados que foram intimados para participar das sessões de julgamento manifestaram informalmente o desejo de não participar de eventual julgamento com temor dos acusados.

Além disso, foi citado ainda o risco da tentativa de plano de fuga dos acusados, com possibilidade de conflito armado, devido à ausência da segurança necessária para realização do julgamento. “Já há histórico de plano de fuga de ambos os acusados. Deve ser considerado que no trajeto de Juína a Colniza, existe aproximadamente 270 Km de estrada de chão, com mais de 80 pontes de madeira, o que facilita a execução de qualquer plano de fuga, pois o automóvel necessita diminuir a velocidade para atravessar as pontes de madeiras”, ressaltou a Promotoria.

Consta também no pedido do MP que o réu Antonio Pereira Rodrigues é conhecido como “prefeito” dentro da cadeia pública de Juína. E a acusada Yana Fois já foi surpreendida duas vezes, no ano de 2018, com celulares dentro do presídio em Cuiabá.

Ao julgarem o pedido, os desembargadores do Tribunal de Justiça decidiram, por unanimidade, que o desaforamento para Juara era a medida necessária. “Se a prova dos autos demonstra o comprometimento da imparcialidade dos jurados, além do risco à paz social e à incolumidade das pessoas envolvidas no julgamento no distrito da culpa, o desaforamento é medida impositiva, sobretudo pela influência política da vítima, que ocupava o cargo de prefeito municipal à época dos fatos”, consta no acórdão da decisão, publicada em março.

Além do homicídio de Esvandir, também pesam contra os dois denunciados a tentativa de assassinato contra o ex-secretário municipal Ademir Ferreira dos Santos, a ex-companheira dele, Rosimeire Costa, e Walison Jones Machado Lara. A dupla ainda será julgada em Juara por associação criminosa, receptação, corrupção de menores e crime de trânsito.

Fonte: Só Notícias/Herbert de Souza

Com muito ❤ por go7.site