Líderes religiosos e pastores pedem abertura urgente das igrejas em Juína

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Reuniram-se nas dependências da câmara municipal da cidade de Juína, vereadores, pastores e líderes religiosos para deliberar sobre a abertura das igrejas no município, uma vez que todas as igrejas foram fechadas por ordem do decreto 432, emitido pelo governo do estado.

Um dos argumentos utilizados pelos religiosos na reunião é de que quase todo o comércio já está em pleno funcionamento e que existem locais em que há uma grande aglomeração de pessoas, e que nas igrejas caso voltem a funcionar os cultos todos seguirão as recomendações necessárias para evitarem o contágio da Covid-19.

O pastor Fernando Souza Machado da igreja Batista Nacional disse que a necessidade da abertura dos templos se pauta em dar estrutura emocional e psicológica as pessoas, onde muitas estão ligando e pedindo orações, e que o momento é de grande importância para que se mantenha as igrejas abertas para atender as pessoas tomando os cuidados necessários a fim de evitar que haja aglomerações, uma vez que quase todo o comércio da cidade já se encontra aberto, as igrejas também possam permanecer abertas de forma racional e correta.

O líder da igreja evangélica Assembleia de Deus, Wilson Aparecido de Souza (irmão Wilson) disse que as reivindicações dos direitos para que se abra as igrejas é uma necessidade para as pessoas buscarem uma palavra de conforto e ajuda evitando que muitas pessoas entrem em depressão, uma vez que a palavra de Deus tem que ser levada a todos de forma presencial, porém obedecendo os critérios de cuidado evitando um grande número de pessoas e mantendo os hábitos de higiene que são exigidos.

Hemes Miguel representante da Primeira Igreja Batista em Juína e representante da OMEJ, disse que o fechamento das igrejas tem sido um momento bastante difícil e que diante a abertura progressiva dos comércios na cidade de Juína, não acha justo que as igrejas fiquem fechadas, onde as pessoas que estão ficando em suas residências, estão começando a sofrer problemas com sua espiritualidade e depressões, fora outras questões, e que mesmo com os cultos on-line as pessoas não se sentem como se ouvisse a palavra de Deus juntos e ao vivo.

O presidente da câmara municipal, Eduardo Rodrigues da Silva, (Eduardo da Verdam) falou sobre a reivindicação do movimento religioso, sobre a questão essencial de se ter as igrejas abertas para atender as pessoas a fim de se evitar um colapso religioso, e que poderá ser possível a abertura das igrejas uma vez que se obedeça às normas de restrições, e mantenha álcool gel e respeite a distância de espaço entre as pessoas.

O vice-presidente da câmara municipal Carlito Pereira da Rocha ressaltou que a posição do legislativo sempre foi em favor da comunidade, e que será coletado dados e reinvindicações que serão encaminhadas ao poder executivo, para que o mesmo se sensibilize e busque fazer a adequação dentro do decreto estadual, lembrando que não cabe aos municípios não podem fazer nada menos que consta no decreto do estado, onde a ordem permite apenas que os municípios sejam ainda mais restritivos, ou igual ao estado.

Carlito afirmou que o prefeito Altir Peruzzo está na capital Cuiabá para uma reunião com o governador a fim de resolver alguns impasses relacionados a pandemia do Covid-19 em todo o estado, onde um novo decreto do governo do estado deverá ser emitido entre hoje e amanhã, que deverá conter novidades sobre a abertura das igrejas como também outros segmentos.

Segundo o vereador Saulo Evangelista, os vereadores estão sendo pressionados, e entendem que uma vez que os comércios foram abertos, não há porque as igrejas permanecerem fechadas, desde que obedeçam às normas de segurança, mantendo o álcool gel e o distanciamento, evitando que as pessoas fiquem doentes mentalmente dentro de suas casas, e que os vereadores encaminharão documentos ao chefe do executivo solicitando a reabertura das igrejas.

Por meio de nota, a prefeitura municipal informou que o não funcionamento de bares, restaurantes, academias, templos religiosos e a vedação por realização de atividades esportivas e culturais são em cumprimento ao Decreto Estadual 432 de 31 de março de 2020, assinado pelo Governador Mauro Mendes. O referido decreto encontra-se em vigência e a prefeitura de Juína não possui legalidade para atuação em desconformidade do mesmo.

A nota diz ainda que o Prefeito Altir Peruzzo encontra-se neste momento em Cuiabá onde junto à AMM – Associação Mato-grossense de Municípios, busca dialogar com o Governo do Estado para que o mesmo altere seu decreto e possibilite que os municípios tenham autonomia para tomar suas próprias decisões em relação às condutas de isolamento social no combate ao novo Coronavírus.

Fonte: Juinanews

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️