Maioria dos estudantes interessam cada vez menos pela leitura em virtude da facilidade tecnológica

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Diminui a cada ano no âmbito estudantil, a paixão e admiração pela leitura por parte da maioria dos estudantes brasileiros, de acordo com uma breve análise sobre o tem “leitura e interpretação”.

Afinal, que não tem boa leitura, consequentemente não terá boa interpretação.

Isso acontece porque com a chegada da tecnologia, computadores, tablete, celulares, smartphones que contem aplicativos que facilitam a digitação, praticamente a maioria dos estudantes perderam o interesse e a admiração pela leitura.

A nova tecnologia traz praticamente tudo na ponta dos dedos, digitou pronto está lá.

A professora Maria José que trabalha a quase 30 anos na rede pública de ensino explica que naquela época, a cerca de uma década, os alunos se interessavam mais pela leitura, porque era o caminho tinham para fazer uma viagem ao mundo em busca a experiência e imaginação, desta forma, o aluno era desafiado a ler.

“É uma pena, que a maioria dos estudantes não utiliza as redes sociais e suas tecnologias para ter mais aprofundamento, porque se usassem para esses fins, os índices de aprovações em vestibulares, concursos públicos e provas seletivas seriam muito maiores”, frisou a professora.

A educadora destaca ainda que nos dias atuais, os professores são desafiados a encontrar formas eficientes para incentivar a leitura, porque a maioria dos alunos está cada vez mais habituados a usarem recursos digitais, fazendo com que livros, revistas, gibis e tantos outros caiam no esquecimento e não sejam considerados alternativos tão importantes na aprendizagem, e por isso há muita falta de interpretação.

Ela salientou que, antigamente, o aprendizado era mais levado a sério por parte dos estudantes, que faziam inúmeras redações, ditados em sala de aulas que eram usados em forma de fixação, e hoje, para alguns pensadores, o ditado é uma forma de punir o aluno, e diante disso, a maior parte dos alunos lê mal, e por isso tem dificuldade de interpretar, e tudo parece mais fácil, mais na verdade ainda precisa muito do esforço da família com era antes que os pais cobravam e participavam mais.

Com relação a tecnologia, a professora Maria José ressalta que, quem inventou a tecnologia digital, certamente pensou em algo para facilitar a vida de todos, mas infelizmente, uma grande maioria que utiliza dela, acha ou acredita que é somente facilitação.

Para ela, a tecnologia não deveria atrapalhar, no entanto, deixa o aluno sem muita vontade de aprofundar, mas por outro lado, a tecnologia tem uma importância inegável na educação, porque suas novas ferramentas e técnicas auxiliam todos os envolvidos na cadeia escolar.

Ouça aqui a entrevista da professora Maria José:

 

Fonte: radiotucunare/acessenoticias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️