Mato-grossense só será retomado com a presença do torcedor, diz presidente da FMF

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O presidente da Federação Mato-grossense de Futebol (FMF), Aron Dresch, aguarda uma posição oficial da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para a retomada do futebol brasileiro. O dirigente também não deixa de acompanhar de perto a movimentação por parte de outras entidades como as federações de São Paulo e do Rio de Janeiro, visando o futuro do Campeonato Mato-grossense, paralisado há um mês, por tempo indeterminado por conta do novo Coronavírus.

Desde início da pandemia, Dresch sempre defendeu a continuidade e o término do Estadual. Diferente dos paulistas e cariocas que querem a retomada dos torneios regionais sem a presença do torcedor, Aron defende a volta da disputa desde que os estádios sejam abertos para os torcedores.

“É injusto voltar o Mato-grossense sem a presença do torcedor. Sabemos que a situação é de muita cautela, mas também não podemos deixar o torcedor do lado de fora. O nosso Estadual, dentro de sua realidade, tem o seu público fiel, em especial no interior. Não é justo vetar o torcedor de ir ao estádio, é injusto”, disse o dirigente.

Para o presidente da FMF, para não expor o torcedor ao risco de contaminação, os órgãos de segurança podem dar maior contribuição, orientando para o distanciamento social.

“A Polícia Militar pode nos ajudar nas recomendações. Outra saída é limitar o número de torcedores no estádio. Se cabe dez mil torcedores, abre para apenas quatro, três mil pessoas. O que não pode é retomar o campeonato sem o torcedor”, complementou. Durante a primeira fase do Estadual, o jornal A Gazeta fez levantamento da média de público do Campeonato Mato-grossense. Na análise feita em cima de dados relatados em súmulas oficiais, a média era de 400 torcedores por jogo.

Apesar de sua posição irreversível para a retomada do Estadual o quanto antes, Aron Dresch afirma não ter uma saída para o problema da paralisação. De acordo com ele, como outras entidades futebolísticas Brasil afora, aguarda uma posição das autoridades de saída como Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde.

Ambos são os que podem dar ordem para que a bola volte a rolar no cenário nacional. “Não queremos passar por cima das autoridades de saúde”, frisa. Os classificados para a segunda fase do Estadual são Cuiabá, Operário, União, Sinop, Nova Mutum, Dom Bosco, Poconé e Luverdense.

Fonte: A Gazeta

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️