baner topo1
Juara – Mato Grosso
Sexta-Feira, 30 de Outubro de 2020

Mulher procura polícia e diz que sofreu abuso sexual durante procedimento na sala de raio-x na UPA de Juína

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Uma paciente de 32 anos, diz ter sofrido abusos por um profissional de radiologia dentro da UPA 24 horas, da cidade de Juína, no noroeste de Mato Grosso. O suposto crime aconteceu neste domingo, dia 19 de julho, e foi registrado pela polícia militar.

A vítima, relatou que ontem, esteve na UPA e necessitava de atendimento médico após sofrer uma queda ao sair do veículo do seu esposo ainda em movimento.

Na UPA o médico plantonista solicitou um exame de raio-x que foi feito na própria unidade, e que após algumas radiografias o profissional analisou as imagens e disse que não ficaram boas e pediu que fosse realizado novamente.

Segundo a vítima, o profissional solicitou a ela para que retirasse toda a roupa e foram realizadas novas radiografias. Em seguida, ele perguntou a ela se poderia ajudá-la a vestir a calcinha, ela disse sim, pois não estava conseguindo se levantar devido estar sentindo dores na coluna. A mulher continua a denúncia dizendo que ele puxou sua calcinha para cima, que em seguida disse: “deixa eu arrumar aqui” e começou a passar as mãos em suas partes intimas, e constrangida o repreendeu pedindo para que parasse. O profissional parou de passar as mãos na moça, e disse: “você tem as partes intimas bonitas e isso é o nosso segredo”.

Após saírem da sala de raio-x, a mulher ficou em frente a unidade, ela conta ainda que o rapaz se aproximou e disse para não chamar a polícia e voltou para o interior da UPA.

Quando a polícia militar chegou na unidade a vítima relatou os fatos e ambos foram para à delegacia de polícia.

Durante o registro do boletim de ocorrências, o suspeito deu sua versão dos fatos, ressaltando que estava de plantão quando foi lhe encaminhada a vítima para realizar exames de raio-x, de politrauma.

À polícia, ele relatou que foi até a sala de emergência e conduziu a paciente na maca até a sala de raio x, que seguindo os protocolos, foi solicitado a ela para que tirasse as roupas com artefatos para não apresenta-los na radiografia. A moça tirou o shorts e foi realizado radiografias de coluna lombar (em duas posições) e coluna torácica, e que para realizar a radiografia de bacia foi solicitado a ela que retirasse a calcinha para que a radiografia não apresentasse artefatos.

O técnico de radiologia afirmou que este é o protocolo para esse tipo de radiografia para todos os pacientes, que após tirar a calcinha foi feito a radiografia, posteriormente foram realizados radiografia de tórax e coluna cervical, conforme prescrição médica.

O suspeito ainda disse que ela estava reclamando de dores na região de cóccix e que por isso ofereceu ajuda para vestir a calcinha, que todos os procedimentos foram informados a ela, e negou que tenha cometido os abusos agindo com profissionalismo e seguindo os protocolos da UPA.

O caso foi levado ao conhecimento da polícia civil que vai investigar os fatos.

Fonte: Juina news

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️