Organização Mundial da Saúde faz apelo para que Europa tome ações “mais ousadas”

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Todos os países da Europa devem tomar as ações “mais ousadas” possíveis para tentar interromper ou retardar a epidemia da doença Covid-19, causada pelo novo coronavírus, disse nesta terça-feira (17) o diretor europeu da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em comentários depois de uma reunião online com representantes do Ministério da Saúde de toda a região, Hans Kluge, diretor regional da OMS para a Europa, afirmou estar “muito satisfeito” ao ver o Reino Unido intensificando as recomendações para o distanciamento social e instou todos os países a trabalharem juntos e aprenderem um com o outro.

“A Europa é o epicentro da primeira pandemia de coronavírus e todos os países, sem exceções, precisam tomar as ações mais ousadas para impedir ou retardar a disseminação do vírus”, disse Kluge durante briefing online.

O Reino Unido endureceu sua abordagem ao surto na segunda-feira (16) com medidas para restringir a vida social na quinta maior economia do mundo e conselhos de autoisolamento para aqueles com mais de 70 anos que apresentem problemas de saúde subjacentes.

Itália, Espanha, França, Alemanha e outros impuseram isolamentos severos.

“Estes são tempos sem precedentes”, afirmou Kluge. “É importante que os países trabalhem juntos, aprendam uns com os outros e harmonizem os esforços.”

Kluge, cujo escritório regional da OMS abrange 53 países, da Islândia ao Uzbequistão, observou que o surto de Covid-19 está progredindo em velocidades diferentes em diferentes países.

Ele disse que isso se deve a fatores demográficos e outros fatores, e significa que, em geral, os países podem ser classificados em um dos quatro cenários ou estados do surto: 1 – nenhum caso; 2 – primeiro caso; 3 – primeiro aglomerado; 4 – primeira evidência de transmissão comunitária.

“Alguns de nossos Estados membros estão nos cenários 2 e 3, muitos estão nos 3 e 4”, afirmou Kluge. “As ações básicas em cada cenário são as mesmas, mas a ênfase muda dependendo do cenário de transmissão em que um país está.”

Kluge acrescentou que a experiência da China e de outros países mostra que “quando implementados de maneira rápida e eficaz”, testes e rastreamento de contatos combinados com medidas de distanciamento social e mobilização da comunidade “podem prevenir infecções e salvar vidas”.

Fonte: Agencia Brasil

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️