Peru registra aumento nos casos de coronavírus, mas relaxa isolamento

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Dois meses depois do início da pandemia do novo coronavírus no Peru, o número de casos aumentou, mas o governo estendeu o tempo para compras. O presidente Martín Vizcarra afirmou, durante coletiva de imprensa, que os casos positivos chegaram a 76.306, e o número de mortos chegou a 2.169 vítimas.

O presidente ampliou o período de quarentena até o dia 10 de maio, mas destacou que o país já atingiu o pico da curva de contágios e deverá começar a registrar menos infectados. Segundo Vizcarra, 6.862 pacientes estão hospitalizados, e destes, 797 estão sob cuidados intensivos.

Vizcarra disse também que o governo e o ministério da Saúde estão trabalhando para liberar novos leitos nos hospitais para receber as vítimas da covid-19. Atualmente, o país possui 9.905 leitos para pacientes com covid-19 e mais 4.886 leitos serão disponibilizados. Dos mil leitos de UTI, outros 196 já estão prontos.

Em junho serão reabertos os restaurantes populares em todas as regiões do país. Segundo o presidente, já está sendo coordenado com os prefeitos a reabertura destes restaurantes que se localizam nos bairros mais pobres e atendem a aproximadamente 700 mil pessoas.

Contudo, as pessoas não poderão fazer as refeições dentro dos locais para evitar a disseminação do vírus. De acordo com Vizcarra, a ideia é que as pessoas retirarem as marmitas e comam em casa.

Amazônia em crise

Vizcarra afirmou que o governo vem trabalhando para apoiar a cidade de Iquitos, que sofre com problemas de abastecimento e que liberou a aeronave presidencial para apoiar. “Na última semana, foram feitas 20 viagens de avião com cerca de 90 toneladas em insumos médicos, como balões de oxigênio e equipamentos”, destacou.

Cilindros de oxigênio são levados para Iquitos, em Loreto

Cilindros de oxigênio são levados para Iquitos, em Loreto

Cortesía Plupetrol Norte/ EFE/ 13.05.2020

Iquitos está localizada no meio da Amazônia peruana, no estado de Loreto, que vem registrando mortes e alta no números de contagiados, inclusive dos profissionais de saúde. A região tem grande dificuldade de acesso para a chegada de insumos e pessoal para responder às necessidades.

Vizcarra disse que o país está em guerra contra o vírus. Ao rebater críticas, o presidente disse que é normal que “generais de escritório após uma batalha digam que teriam feito diferente”.

“Fizemos o que tínhamos que fazer desde o primeiro dia”, destacou o presidente.

Toque de recolher

Apesar do aumento no número de infectados, o governo anunciou, nesta quarta-feira (13), que irá estender o horário de abertura dos comércios em duas horas adicionais. Segundo Vizcarra, a ideia é diminuir a aglomeração de pessoas nestes locais.

Antes, os comércios deveriam fechar as portas às 18h, e a partir de agora poderão ficar abertos até às 20h.

Centros de abastecimentos

Vizcarra também mostrou durante a coletiva de imprensa uma pesquisa feita com os trabalhadores nos mercados de abastecimentos de frutas, o qual apontou que ao menos metade dos trabalhadores estavam contaminados com a covid-19. “Assim, 4 de 5 trabalhadores estão contaminados”, disse o presidente.

O mercado de frutas de La Victoria, no centro de Lima, foi o que apresentou os piores números. Dos 198 trabalhadores testados, 157 apresetaram resultado positivo para a covid-19. Já no mercado Micaela Bastidas, dos 100 trabalhadores que fizeram o teste, 61 estavam infectados.

E no centro de abastecimento que apresentou o menor número de contagiados, pelo menos 45% dos trabalhadores tinham covid-19. Dos 102 testados, 46 apresentaram um resultado positivo para o vírus. Apesar dos números, o governo não irá fechar os centros de abastecimentos.

Reforma arquivada

O presidente também criticou uma decisão de uma comissão do Congresso de arquivar sem análise um projeto de Reforma da Previdência de autoria do Executivo. A medida também foi criticada pelo presidente do Conselho de Ministros, Vicente Zeballos, presente na coletiva.

“Como democrata, peço ao Congresso que tome decisões pensando no país e não em conjunturas circunstanciais”, destacou. O projeto pretende rever os critérios do sistema privado de aposentadorias, as AFPs. A crise gerada pelo coronavírus vem afetando a rentabilidade destes fundos privados.

Críticas ao ministro

Segundo o Colégio de Médicos do Peru, entidade de classe, só nos últimos três dias nove médicos morreram em decorrência da covid-19. Desde o princípio da pandemia no país, ao menos 20 profissionais perderam a vida.

Em um comunicado, a entidade defendeu a manutenção do isolamento social como forma de combater a disseminação do coronavírus. A entidade reclamou a falta de materiais como vestimentas adequadas, insumos médicos e medicamentos nos hospitais do país.

Segundo o Colegio de Médicos, 825 profissionais se infectaram e 40 deles estão em cuidados intensivos. A carta pediu a renúncia do ministro da saúde, Víctor Zamora Mesia, ao citar como erronea a decisão do integrante do governo de negar uma “ponte aérea” para os casos mais graves da doença.

O ministro foi insultado por parentes de pacientes com covid-19, durante uma visita ao hospital Santa María del Socorro en Ica. Em outra ocasião, o ministro também foi confrontado pelo governador de Lambayeque, por falta de testes para identificar os pacientes contagiados.

Fonte: R7

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️