baner topo1
Juara – Mato Grosso
[dataehoranews]

Polícia Civil de Juara vai investigar caso da criança que amanheceu morta na cama dos pais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Até o presente momento, o caso é tratado como uma fatalidade, onde uma criança com 27 dias de nascida amanheceu morta na cama onde dormia com seus pais.

O fato ocorreu na noite de sexta-feira, dia 28 de maio para sábado, dia 29 na Rua das Hortência no Bairro Portal das Flores em Juara.

Nossa reportagem esteve no local desde as primeiras horas após o fato e ouviu relatos de várias pessoas, todas no mesmo sentido de que o caso possa mesmo ter sido uma fatalidade.

O irmão do pai acusado, Raimundo Tiburcio do Nascimento Filho disse a nossa portagem que acredita na inocência do irmão, e descarta a possibilidade de um crime culposo, já que segundo ele, o pai da criança que é seu irmão era muito atencioso e carinhoso com as crianças, sendo que nem todas eram filhos de sangue dele.

Francisco Souza Silva Junior que diz ser amigo e vizinho de longas datas do pai da criança também disse ser solidário ao pai e que o homem é uma pessoa boa e trabalhadeira, que inclusive está há mais de uma década na mesma empresa trabalhando.

“Todos nós, digo eu e os vizinhos da Rua das Hortência estão a disposição para testemunha a favor do pai que é meu amigo, e vamos lutar para que a verdade seja provada”, disse emocionado o amigo, Francisco Souza Silva Junior.

O casal José Uilson do Nascimento e sua espoa Thálita que é da nação indígena, segundo membros da própria familia sempre recebiam amigos na residência fazia ingestão de bebida alcoólica, fato que fizeram no dia do crime.

Essa versão também foi confirmada pelas autoridades policiais que chegaram no local e encontraram o casal ainda sobre efeito de efeito de bebida alcoólica.

Os investigadores da Polícia Judiciária Civil fizeram a segurança do local e permaneceram na área da casa até a chegada do perito da Politec de Juína que fez todos os procedimentos para a liberação do corpo da criança que passou por exames de necropsia feito pelo médico legista de Juara, Dr. José Carlos Braga  Neto. O perito da Politec preferiu não gravar entrevista a imprensa e acompanhou o exame de necropsia.

Já o casal prestou depoimentos na Delegacia Polícia Judiciária Civil de Juara, e o delegado, Dr. Carlos Henrique Engelmann abrirá inquérito para investigar as circunstância do fato.

 

Fonte: Acessenoticias/radiotucunare

Com muito ❤ por go7.site