baner topo1
Juara – Mato Grosso
Sexta-Feira, 30 de Outubro de 2020

Presidente da Funai é o entrevistado do Brasil em Pauta

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Em entrevista ao Programa Brasil em Pauta, da Tv Brasil, que vai ao ar nesta terça (10), às 22 horas, o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marcelo Xavier, ressaltou os avanços na política indigenista no Brasil.

Na área de educação, por exemplo, citando dados do Censo Nacional da Educação, Xavier destacou que, nos últimos sete anos, quintuplicou a busca pelo ensino superior dos indígenas. A Funai tem buscado parceria com Institutos Federais e têm tido , segundo ele, uma experiência muito exitosa com Instituto Federal do Pará, no curso de magistério intercultural e da área agrícola. Outra boa experiência foi no Instituto Federal de Mato Grosso onde foram entregues, no final de 2019, 77 certificados do curso de formação de negócios para três etnias. “Além, de torná-los multiplicadores, a busca de conhecimento não representa perda de identidade ética, muito pelo contrário, é um somatório”, avaliou.

Para facilitar o acesso de indígenas ao ensino superior, o presidente da Funai disse que 140 antenas de Internet serão instaladas em aldeias. A medida possibilitará levar a plataforma EAD – ensino a distância – às aldeias. Na avaliação de Marcelo Xavier fora de seu ambiente eles ficam muito expostos. “Um indígena de uma comunidade no Amazonas tem que andar três ou quatro dias barco para chegar a um centro urbano onde tem uma universidade. Ali ele fica e é facilmente aliciado pelo convívio com os não indígenas e levado ao uso de drogas, coisas que não são boas e ficam longe da família”, afirmou.

Etnodesenvolvimentismo

Marcelo Xavier também defendeu na entrevista o etnodesenvolvimento que é o respeito à autonomia dos povos indígenas. Ele citou exemplos de etnias que desenvolvem culturas importantes em suas terras. É o caso dos povos Parecis no plantio de grãos, dos suruí que produzem café e dos cinta larga que produzem castanha. “O que a gente tem e que procura reforçar , junto à comunidade indígena, são os costumes e tradições para que eles se fixem na aldeia. Isso a gente tem condições de fazer pela Funai através do etno desenvolvimento porque ali, nós vamos dar ocupação a eles para que eles permaneçam nas aldeias, empenhados em uma atividade sustentáveis”, disse Xavier, acrescentando que a Funai apoia essas comunidades com expertise técnica.

Histórico

Segundo a Funai, no Brasil, há 1 milhão de indígenas, 14% da população. São 305 povos, 270 línguas, cada uma com seus usos costumes e tradições. “Acho que o que eles mais desejam é ser protagonistas da própria história . Isso nós só vamos conseguir com o diálogo direto, sem intermediários com as comunidades”, destacou o presidente da Funai.

Fonte: Agencia Brasil

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️