Ricardo Magro e outros 15 se tornam réus

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O empresrio Ricardo Magro, dono da refinaria de Manguinhos, se tornou ru em processo que investiga desvio de recursos dos fundos de penso dos Correios, o Postalis, e da Petrobras, o Petros. A Justia acatou a denncia contra outras 15 pessoas envolvidas no esquema, entre eles o ex-presidente do Postalis, Alexej Predtechensky, e o ex-diretor de investimentos do fundo, Adilson Florncio da Costa, acusados de associao criminosa e crimes financeiros. A Justia determinou a apreenso dos passaportes de dez envolvidos e estipulou fiana em valores superiores a R$ 4 milhes. Dos 16 rus, sete j estavam detidos em priso temporria desde o ltimo dia 24. O ex-presidente do Postalis, Alexej Predtechensky, o ex-diretor Adilson Florencio, Mrcio Andr Costa e Ronald Levinshohn tiveram a fiana estipulada em R$ 8,8 milhes. J Paulo Cesar da Gama e Luiz Alfredo da Gama, scios e fundadores da Universidade Gama Filho, administrada pelo grupo Galileo, tiveram a fiana estipulada em R$ 4,4 milhes. De acordo com a denncia do Ministrio Pblico Federal (MPF) do Rio, os envolvidos teriam desviado cerca de R$ 90 milhes em recursos arrecadados nos fundos de penso para recuperar o Grupo Galileo, administrador de duas universidades particulares no Estado. A oferta de emisso de ttulos da dvida, em 2011, foi feita por uma sociedade entre Mrcio Andr Costa, proprietrio do Grupo e o empresrio Ricardo Magro. O negcio teria levantado R$ 81 milhes pagos pelo fundo Postalis e R$ 23 milhes pagos pela Petros. Na avaliao dos procuradores do caso, a aquisio dos ttulos pelos fundos de penso caracteriza gesto fraudulenta. ‘Fica evidente que havia, um concerto de aes entre Mrcio Andr e Adilson Florncio, no sentido de se destinar ao Grupo Galileo recursos do Postalis, pouco importando se o investimento era seguro ou no‘, afirma a denncia, assinada pelos procuradores Mrcio Barra Lima e Paulo Gomes. Tambm foram denunciados pela gesto fraudulenta do Postalis, o ex-presidente do fundo, Alexej Predtechensky, o ex-diretor financeiro, Ricardo Azevedo, o ex-gerente de aplicaes, Jos Carlos Rodrigues, e a gerente de ativos, Mnica Christina Caldeira. A investigao sobre gesto fraudulenta no Petros foi desmembrada do processo pela Juza da 5Ð Vara Federal do Rio, Adriana Alves dos Santos Cruz. De acordo com os procuradores, o investimento no tinha sido aprovado no Comit de Investimento da Petros, mas foi executado pela diretoria executiva. ‘Na poca, saltava aos olhos a evidente impropriedade das garantias oferecidas pelo Grupo Galileo – os recebveis do curso de medicina. Ademais, j havia divulgao na mdia dos graves problemas financeiros pelos quais passava a Gama Filho e isso sequer mencionado na anlise realizada na Petros ou na deliberao tomada pelos denunciados‘, afirma a denncia. Nos depoimentos j colhidos, os acusados indicam que o esquema era articulado por Mrcio Costa, proprietrio do Grupo Galileo. Ricardo Magro disse, em depoimento, que se desfez da sociedade em maro de 2011, antes da operao de venda de ttulos das dvidas. Um dos principais acionistas da Refinaria de Manguinhos, Magro tem relaes prximas a polticos do PMDB, como o deputado afastado Eduardo Cunha, e do PT, com sociedade com Marcelo Sereno, chefe de gabinete do ex-ministro da casa civil, Jos Dirceu. Os procuradores seguem investigando o destino final dos recursos – via transferncias ao exterior, doaes e contratao irregular de consultorias – e avaliam possveis relaes polticas entre os acusados. Foram encontradas agendas com contatos e informaes sobre os negcios, alm de documentos e indcios de encontros entre os envolvidos. Entre os documentos, h indcios de que o ex-diretor de investimentos da Postalis, Adilson Florncio, tinha conhecimento sobre a delicada situao financeira das universidades. A operao tambm pediu o bloqueio de bens de 46 envolvidos, no valor total de R$ 1,3 bilho. O levantamento dos recursos bloqueados ainda no foi concluda, mas foram apreendidos mais de 71 veculos, entre carros de luxo BMW e Mercedes Benz, e trs embarcaes pertencentes aos acusados. Mesmo com a falncia das universidades, os fundadores mantinham extenso patrimnio de imveis e gastos com restaurantes de luxo em viagens no exterior.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️