Sete mil animais devem ser vacinados até o fim da Campanha Antirrábica em Juara

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

A Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ) de Juara está dando continuidade na Campanha de Vacinação Antirrábica na zona rural e urbana do município, de acordo com o médico veterinário João Vitor Cruz, a meta é que 7 mil animais, entre cães e gatos, sejam imunizados, até o momento 3.700 animais receberam as doses.

Um ponto importante ressaltado pelo veterinário, é quanto a vacinação nos gatos, infelizmente o número é menor do que o esperado. “A maioria dos animais domésticos levados para receber as doses da vacina são cães, mas é necessário que a atenção também seja dada ao gato,  já que ele também, é um transmissor da doença”, alertou João Vitor. Uma dica é levar o animal dentro de uma fronha, assim não é necessário retirar o animal para vacinar, a vacina pode ser dada por cima da fronha.

João Vitor também explicou que a vacina antirrábica tem o prazo de 1 ano de imunização, por isso é indispensável que seja respeitado o calendário vacinal. “As campanhas em sua maioria são sempre realizadas no mesmo período do ano, isso faz com que o animal esteja sempre livre do vírus, mantendo o município livre da doença”.

Para a Campanha de Vacinação Antirrábica de 2020, o município recebeu doses importadas da vacina, que aumenta a eficácia quanto ao período agindo no coro do animal. “Todas as doses recebidas no primeiro lote foram importadas, isso não quer dizer que as vacinas nacionais sejam ruins, mas as vacinas importadas possuem uma eficácia maior, garantindo mais qualidade aos animais”, explicou João.

O QUE É NECESSÁRIO PARA VACINAR?

Para ser imunizado os proprietários dos animais devem seguir as seguintes recomendações:

– Serão vacinados animais com idade acima de 3 meses e em boas condições de saúde;

– Os animais devem ser transportados com segurança até o ponto de vacinação;

– Não serão vacinadas fêmeas em gestação;

 –  Os cães bravos devem usar focinheira;

Raiva: o que é, sintomas e tratamento

A doença raiva é uma zoonose (doença transmitida do animal para o homem) letal. Durante muitos anos ficou erradicada dos grandes centros urbanos, mas ultimamente há registros de casos nas cidades de São Paulo, Campinas e Piracicaba.

O vírus da raiva é transmitido através da mordida de um animal infectado, já que o vírus fica em grande quantidade na saliva. Para se transmitir a doença raiva, o animal deve ser portador do vírus da raiva, ou seja, não é toda mordida de cão e gato que se transmite a raiva. Além disso, cães, gatos e todos os mamíferos (incluindo o homem), exceto o morcego, são portadores sintomáticos da doença. Isso significa que se um animal (ou pessoa) contraiu raiva, ele com certeza apresentará os sintomas da doença.

Raiva – transmissão

A transmissão da raiva é feita através do contado com a saliva do animal infectado, por lambedura ou mordidas. Após a infecção, o vírus se espalha no sistema nervoso do novo hospedeiro, atingindo diversos órgãos e se proliferando nas glândulas salivares. Após a exposição ao vírus, os sintomas da raiva surgem em cerca de 10 a 60 dias.

Raiva – sintomas

No início da doença, há alteração comportamental, mudanças de hábitos, salivação excessiva, latidos ou miados com maior frequência e agressividade. Com o agravamento do quadro, o animal passa a ter os músculos rígidos, fazendo com que tenha dificuldade para deglutir e mastigar, causando a famosa “boca espumando”, já que não consegue engolir a saliva. Este quadro pode evoluir para crises convulsivas e paralisia total do corpo.

Atenção: Nem todo animal agressivo ou que saliva é portador da raiva. Existem outros fatores que desencadeiam a agressividade nos animais, assim como salivação – como enjoos e medicamentos.

O que fazer após uma mordida de um animal suspeito?

Neste caso, a primeira coisa a ser feita é levar o animal que sofreu a mordedura a uma clínica veterinária com urgência, onde serão realizados os devidos exames. Deve-se avisar a Unidade de Vigilância de Zoonoses onde se encontra o animal com suspeita de raiva para serem tomadas as devidas providências – quarentena e exames. Caso confirmada a doença, eles são encarregados de avisar a região.

Tratamento e prevenção da raiva animal

A raiva não possui tratamento, sendo uma doença 100% letal. A única forma de prevenção da raiva é a vacinação anual de cães e gatos, mesmo nas regiões urbanas, incluindo os animais de apartamento.

Vacina para raiva

Muita gente não sabe, mas as doses das vacinas, incluindo a vacina de raiva, devem ser atualizadas anualmente. Não arrisque! Atualize a vacina do seu animal para não deixar que esta doença volte a ser comum entre os bichinhos. (Fonte: PETLOVE)

Fonte: Diretoria de imprensa da prefeitura de Juara

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️