Traficante preso no Paraguai deixou cadeia no Brasil por risco de covid

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O traficante brasileiro Fabrício Santos da Silva, preso terça-feira (4) por agentes do Paraguai, cumpria pena no Brasil de mais de 70 anos em regime fechado, mas foi liberado para a prisão domiciliar em março, por sofrer de uma doença crônica e correr o risco de contrair o novo coronavírus.

Assim que deixou a cadeia, Nenê ou Guri, como também é chamado, destruiu a tornozeleira eletrônica e fugiu para o Paraguai em junho.

Fabrício tem 37 anos e cumpria pena por tráfico de drogas, roubos e homicídio de dois policiais. Ele é considerado líder da facção criminosa “Os Manos”, que atua no Rio Grande do Sul

O brasileiro foi encontrado pelos Agentes da Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai (Senad) em um condomínio de luxo em Ciudad del Este. Em seguida ele foi expulso do país e entregue às autoridades brasileiras pela Ponte de Amizade, em Foz do Iguaçu (PR). Juntos com ele foram presos um homem e duas mulheres, todos paraguaios.

A Senad informou que a facção liderada por Fabrício operava em algumas atividades ilegais em associação com o PCC (Primeiro Comando da Capital).

Em 2017, ele foi transferido temporariamente para a penitenciária federal de Mossoró (RN) depois de liderar uma tentativa de fuga fracassada do Presídio Central de Porto Alegre que envolveu 200 detentos através da escavação de um túnel.

A expulsão imediata do Paraguai é uma prática acordada com o governo do Brasil quando se trata de integrantes de quadrilhas brasileiras que operam em cidades da fronteira.

Fonte: R7

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️