baner topo1
Juara – Mato Grosso
Quinta-Feira, 29 de Outubro de 2020

TRE remarca data para Savi depor sobre suposta compra de voto em Juara

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O juiz-membro do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, Marcos Faleiros, adiou para o prximo dia 21, a audincia em que o deputado estadual Mauro Savi (PR), ser ouvido para colheita de provas, no processo em que investigado por suposta compra de votos em Juara, no pleito de 2014. O depoimento estava marcado para o ltimo dia 6. O despacho divulgado hoje aponta que foi atendido o pedido da defesa, mas o motivo no foi apontado. Em junho, Faleiros determinou seguimento da ao, ao analisar a defesa do parlamentar contra outras decises em que tentou evitar o recebimento dela, constatando que estava paralisada desde 2015, em desacordo com a legislao. Quando decidiu dar seguimento ao processo, o juiz entendeu que “os embargos declaratrios no tm o condo de suspender o curso processual, tendo como efeito apenas o de interromper o prazo para outros recursos […], estando o presente processo sem impulsionamento de forma irregular, podendo gerar srios prejuzos sociedade e ao bom nome do representado, que carrega o nus de uma ao contra si”. Faleiros frisou que Savi tem o “direito de ser inquirido com todas as garantias inerentes, tais como direito ao silncio, no responder perguntas que importem em autoincriminao, etc. Caso no comparea, presume-se ter dispensado a faculdade de ser ouvido, tendo o processo o seu respectivo prosseguimento”. Em seguida, aps a expedio da carta de ordem e diligncias para audincia, conclusos com urgncia os autos, o juiz acrescentou que “imediatamente ser apreciado e julgado os embargos declaratrios pendentes e eventuais recursos e outras questes de ordem que provavelmente sero interpostas”. Conforme o processo, servidores da Justia Eleitoral receberam a denncia que eleitores estariam recebendo entre R$ 370 e R$ 1 mil – supostamente pagos por pessoas ligadas campanha do ento candidato. Outro lado A defesa de Savi vem apontando nulidade das diligncias feitas por duas servidoras da 27ª Zona Eleitoral de Juara, que colheram supostas provas contra Savi, em uma propriedade de terceiro. Eram apontadas ilicitudes como do caderno probatrio e tambm falta do mandado de autorizao judicial.

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️