baner topo1
Juara – Mato Grosso
Sexta-Feira, 04 de Dezembro de 2020

Tropas de paz russas vão a Nagorno-Karabakh após acordo de trégua

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Tropas de paz da Rússia foram enviadas ao enclave montanhoso de Nagorno-Karabakh nessa terça-feira (10), parte de um acordo de cessar-fogo firmado para encerrar seis semanas de combates intensos entre o Azerbaijão e forças armênias étnicas.

Conforme o acordo, o Azerbaijão manterá os ganhos territoriais obtidos nos combates, incluindo Shusha, segunda maior cidade do enclave e que os armênios chamam de Shushi. As forças armênias étnicas devem ceder o controle de uma série de outros territórios até 1º de dezembro.

O Ministério da Defesa da Armênia disse que as ações militares foram suspensas e que a calma foi restaurada no território separatista, que é reconhecido internacionalmente como parte do Azerbaijão, mas povoado e, até recentemente, totalmente comandado por armênios étnicos.

O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que o acordo deveria abrir caminho para um pacto político duradouro, após um conflito que já matou milhares, deslocou muitos e ameaçou mergulhar a região como um todo em uma guerra.

A Turquia, membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e principal apoiadora e fornecedora de armas do Azerbaijão, disse que o acordo garantiu ganhos importantes para seu aliado, e seu ministro das Relações Exteriores, Mevlut Cavusoglu, comemorou o feito como um “sucesso sagrado”.

O cessar-fogo provocou comemorações em Baku, a capital do Azerbaijão, onde carros e ônibus tocaram buzinas e pessoas vibraram e acenaram com a Bandeira Nacional.

“Este comunicado [de cessar-fogo] tem significado histórico e constituiu a capitulação da Armênia. Este comunicado põe fim à ocupação de anos”, disse o presidente azeri, Ilham Aliyev.

Alguns azeris lamentaram que os combates tenham terminado antes de seu país controlar toda a área de Nagorno-Karabakh e desconfiaram da chegada das tropas de paz da Rússia, que dominaram a região nos tempos soviéticos.

“Estávamos prestes a recuperar toda Nagorno-Karabakh”, disse Kiamala Aliyeva, de 52 anos. “O acordo é muito vago, não confio na Armênia e confio ainda menos na Rússia.”

O líder de Nagorno-Karabakh, Arayik Harutyunyan, afirmou que não havia opção além de concluir um acordo de paz, por causa do risco de perder todo o enclave para o Azerbaijão. O primeiro-ministro armênio, Nikol Pashinyan, disse que concluiu o acordo de paz sob pressão de seu próprio Exército.

Fonte: Agencia Brasil

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️