UE investiga produtos falsificados relacionados ao coronavírus

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Os trabalhadores produzem máscaras faciais à medida que a demanda por sua produção aumenta rapidamente e se esforça para atender aos pedidos, nas instalações de um fabricante turco em Istambul, Turquia, em 30 de janeiro de 2020.

Reguladores da União Europeia iniciaram uma investigação sobre as importações de produtos falsos, relacionados ao coronavírus, que são ineficazes ou prejudiciais à saúde, informou o escritório europeu antifraude Olaf nesta sexta-feira (20).

Os produtos apreendidos incluem máscaras, dispositivos médicos, desinfetantes e kits de exames.

Máscaras falsificadas, inclusive para crianças, foram vendidas online nos países da União Europeia de cinco e 10 euros cada, cerca de três vezes o preço normal.

“Além de ineficazes contra o vírus, uma vez que os produtos também não cumprem as normas da UE, são potencialmente prejudiciais à saúde. Por exemplo, eles podem provocar uma contaminação bacteriana perigosa”, afirmou o escritório, em comunicado.

Os produtos falsificados entram na Europa por meio de vendas online e chegam, principalmente, por serviços de entrega ou pelo correio, mas também por contêineres com certificados falsificados ou declarados como outros produtos. Eles são encontrados em canais de distribuição normais ou no mercado negro.

Fonte: Agencia Brasil

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Acesse Notícias. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️