baner topo1
Juara – Mato Grosso
Domingo, 07 de Marco de 2021

União Europeia (UE) pressiona AstraZeneca para entregar doses da vacina

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

A União Europeia (UE) intensificou nesta segunda-feira (25) a pressão sobre a farmacêutica AstraZeneca, que desenvolveu uma vacina contra a covid-19 em parceria com a Universidade de Oxford e anunciou que inicialmente entregará menos doses do que as combinadas com a Comissão Europeia.

A presidente da Comissão, Ursula von der Leyen, conversou por telefone com o diretor executivo da empresa, Pascal Soriot, ao qual “lembrou que a UE investiu quantias significativas na companhia” enquanto a vacina era desenvolvida “justamente” para garantir a produção.

Em entrevista coletiva, o porta-voz-chefe da Comissão, Eric Mamer, informou que Von der Leyen pressionou a AstraZeneca a “explorar todas as flexibilidades possíveis” para cumprir as entregas combinadas no contrato com prazos e doses “específicos”.

Nesta tarde, representantes da Comissão Europeia e dos Estados-membros da UE se reunirão com o presidente da farmacêutica para “reavaliar” a situação, acrescentrou o porta-voz da Saúde do governo do bloco, Stefan de Keersmaecker.

Governo negocia compra de novas doses da vacina da AstraZeneca

O laboratório, cuja vacina ainda não foi aprovada pela Comissão Europeia, que espera a análise da Agência Europeia de Medicamentos prevista para 29 de janeiro, anunciou na sexta-feira passada que haverá um atraso na entrega das 300 milhões de doses, mais 100 milhões adicionais, combinadas com a Comissão para fornecer aos Estados-membros da UE.

“A empresa deveria começar a produzir antes de receber a autorização” para poder entregar os imunizantes logo depois da permissão para distribuí-los na UE, disse o porta-voz da Comissão, que lembrou que o contrato foi assinado em agosto do ano passado.

O governo da Itália anunciou que levará a farmacêutica à justiça por descumprir os contratos, como já fez com Pfizer e BioNTech, que também tiveram problemas para entregar as doses combinadas.

A Itália calcula que receberá 3,4 milhões de doses, em vez das 8 milhões previstas para o primeiro trimestre, mas a Comissão Europeia não atualizou dados sobre as doses que faltam nem os motivos dos problemas do laboratório.

“Não é o momento de entrar em discussões judiciais, mas de discutirmos com a empresa e os Estados-membros” sobre como solucionar o problema das entregas, declarou De Keersmaecker.

Fonte: R7

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️