Viveiro de mudas resgata a flora e valoriza profissionais de Aripuanã

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Foi em 2007, quando teve sua primeira oportunidade de emprego com carteira assinada, que o aripuanense Silvando Ribeiro Lins, de 41 anos, começou a se afeiçoar pela área ambiental. Ele, que faz parte de uma família pioneira do município de Aripuanã, trabalhou como assistente para um engenheiro florestal em um viveiro de mudas. Foi nessa época que plantou sua primeira muda, um Ipê Amarelo. A partir daí, Silvando começou a ampliar seus conhecimentos sobre a importância do respeito e das iniciativas voltadas para a preservação do meio ambiente.

Passados quase treze anos, Bera, como é carinhosamente chamado por todos, não só tenta repassar seus conhecimentos para pessoas mais próximas, mas também se tornou uma referência como defensor do meio ambiente em Aripuanã. Sua história, hoje, é também uma de nossas histórias, pois ele segue atuando na mesma área, agora, como assistente ambiental da SETE – Soluções e Tecnologia Ambiental, empresa de consultoria contratada pela Nexa para apoiar nas ações de conservação da fauna e flora local.

O cuidado com as plantas permanece até hoje: atualmente, “Seu” Silvando trabalha em um viveiro de mudas, localizado a aproximadamente dois quilômetros da sede do município, no Setor Chacareiro Frei Canuto. Neste espaço, de cerca de 3.300 m2, são cultivadas mais de 30 mil mudas de plantas, de mais de 130 espécies diferentes, resgatadas das áreas de supressão vegetal do Projeto Aripuanã. Em meio a diferentes espécies, uma de suas queridinhas é o Ipê Rosa, capaz de embelezar qualquer tipo e paisagem.

Dedicação e saberes que multiplicam a natureza

A rotina de Silvando começa bem cedo na área de implantação do Projeto Aripuanã, onde ajuda a fazer a coleta das sementes. Depois, com muita cautela, a equipe leva o material recolhido para um espaço de dormência, no próprio viveiro de mudas. Diariamente, ele acompanha esse processo de germinação das sementes e, quando concluído, ele as coloca em saquinhos, que são levados para dentro das estufas, onde as sementes são cultivadas até o momento que estiverem prontas para serem reintroduzidas na natureza.

O viveiro de mudas ocupa 3.300 m2 e abriga mais de 30 mil mudas de plantas.

Para Bera, plantar, cultivar e observar o crescimento de cada muda ou semente é bastante parecido com a relação que tem com os quatro filhos, o que desperta uma grande paixão pela profissão.

“Isso me traz uma sensação muito boa, ver essas mudas nascendo e crescendo. Algumas levam cinco dias, outras demoram mais tempo e a gente fica sempre acompanhando o desenvolvimento delas. Gosto tanto que cuido delas como se fossem filhos”, explica.

O cultivo da biodiversidade local para as futuras gerações

O viveiro de mudas da Nexa foi implementado a partir de quatro programas que integram o Plano de Controle Ambiental (PCA) do Projeto Aripuanã: o Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD), o Programa de Compensação Ambiental por Intervenção em APP, Por Supressão de Indivíduos Arbóreos de Espécies Protegidas e o Programa de Restabelecimento da Conectividade Florestal. Reforça também, entre outros, o compromisso da empresa com uma atuação social e ambientalmente responsável.

O local foi estruturado para receber o material coletado pelas equipes responsáveis pelo resgate de flora na área de implantação do Projeto. Somente de novembro a dezembro do ano passado, por exemplo, mais de quatrocentas mudas foram resgatadas. Após receberem todos os cuidados necessários e atingirem altura mínima necessária, as mudas estarão prontas para replantio nas Áreas de Preservação Permanente (APP) da Nexa. Em janeiro, ações preliminares para o plantio já foram iniciadas. Tais ações incluem a retirada de capim e gramíneas, abertura dos berços e aplicação de adubo no solo, entre outros cuidados.


Quatro programas de controle ambiental estão contemplados no funcionamento do viveiro de mudas.

As áreas selecionadas para o início das atividades de plantio são espaços que já tiveram sua vegetação original retirada em anos anteriores e atualmente estão mais abertas, necessitando de introdução de mudas para enriquecimento da mata, como detalha o gerente de Saúde, Segurança e Meio Ambiente do Projeto Aripuanã da Nexa, João Paulo Cabral.

O proprietário do viveiro, Luiz Carlos Westphaul, e Silvando contaram com o apoio da Nexa para dar continuidade ao trabalho no viveiro.

A Nexa tem o compromisso de atuar de maneira social e ambientalmente responsável em todos os locais onde opera e, em Aripuanã, não será diferente. Com esse viveiro de mudas, o nosso principal objetivo é desenvolver ações de resgate, manutenção, reintrodução, monitoramento e produção de mudas para posterior realização de plantios de reconstituição da vegetação ou enriquecimento em áreas a serem preservadas.

Mais de 30 mil mudas cultivadas por várias mãos de Aripuanã 

Além de reforçar o compromisso da Nexa em atuar de maneira ambientalmente responsável, o viveiro de mudas também é a confirmação de que a empresa valoriza o trabalhador aripuanense. No local, atuam diariamente um viveirista, um assistente ambiental, e três auxiliares de campo, conforme a demanda das atividades. Toda essa equipe é composta por pessoas que residem em Aripuanã.

A semente do viveiro locado pela Nexa foi plantada em 2007, por Luiz Carlos Westphaul. 

Silvando, que você já conhece, é um deles. O outro é o proprietário do local, Luiz Carlos Westphaul. Antes de alugar o espaço para a Nexa, devido as dificuldades de manter a estrutura por questões econômicas, ele chegou a pensar em desistir do viveiro. Mas tudo isso mudou quando surgiu a possibilidade de fazer uma parceria com o empreendimento, como comenta o próprio Luiz.

“Eu estava realmente pensando em desistir do meu viveiro, mas com esse apoio que a Nexa está me dando, além da contratação pela SETE, minha estrutura continua em pé e funcionando a todo vapor”, comenta.

Sérgio Oliveira, consultor de Relações com Comunidades da Nexa, explica como a parceria reforça o compromisso da empresa com a geração local de emprego e renda.funcionando a todo vapor”, comenta.

“O funcionamento do viveiro de mudas ainda reforça nosso compromisso com a contratação de profissionais locais. É satisfatório para a Nexa ter as mais de trinta mil mudas sendo cultivadas por várias mãos de Aripuanã. A história e empenho do Silvando comprovam isso. A valorização do cidadão aripuanense é fundamental para o sucesso do nosso empreendimento e desenvolvimento da região”, explica.

Sérgio Oliveira: Biodiversidade do viveiro de mudas é o futuro das novas gerações. 

Preservação e cuidados também com a fauna

Outra questão que é prioridade para a Nexa é a segurança dos animais que são encontrados nas áreas de implantação do Projeto Aripuanã. Para atender esse setor, existe toda uma equipe com profissionais capacitados que são acionados via rádio por qualquer empregado que avistar uma espécie.

Após o resgate, os animais são encaminhados para uma sala de atendimento médico veterinário, denominado de Centro Provisório de Recepção da Fauna Resgatada, localizado em anexo ao canteiro de obras do Projeto, que funciona como laboratório de campo para triagem, identificação, avaliação e tratamento clínico. Ao serem avaliados, os animais que estiverem em boas condições são encaminhados para soltura em áreas predefinidas pela equipe.

O cuidado com a flora e a fauna de Aripuanã reflete o comprometimento da Nexa também com o desenvolvimento sustentável, com nossa gente e com o futuro do planeta.

Então, gostou desta história que estamos escrevendo juntos? Temos outras para contar. Acompanhe aqui, em www.projetoaripuana.com.br 

 

Fonte: Top news

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️