baner topo1
Juara – Mato Grosso
Domingo, 19 de Setembro de 2021

Polícia Civil de Juína prende terceiro envolvido no assassinato de garimpeiro em Castanheira

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O terceiro suspeito de envolvimento no crime de homicídio consumado e tentado, ocorrido no mês de março em local que chegou a ser chamado de ‘novo garimpo’ em Castanheira, foi preso pela Polícia Civil da cidade de Juína na manhã desta sexta-feira (27.08), no município de Aripuanã.

Alípio Oliveira Souza, de 60 anos foi preso pelos policiais civis na Vila do Garimpo, na cidade de Aripuanã, em cumprimento ao mandado de prisão preventiva, expedido pela Justiça.

O idoso estava com a ordem de prisão decretada por participar do crime contra a vida, ocorrido no dia 29 de março, na zona rural de uma área de pesquisa de ouro.

Ao ser abordado pelos investigadores, o suspeito alegou que nunca havia feito documento de identificação, que não conhece ninguém de sua família, bem como alternadamente mudava o nome da mãe e data de nascimento.

Depois de preso, ele foi conduzido até a delegacia para as providências e posteriormente apresentado ao Poder Judiciário.

Na quinta-feira policiais civis de Juína prenderam Maicon Roberto De Abreu, de 29 anos, e Francisco Malta Nascimento De Oliveira, vulgo “Malta”, assassino interlocutor e executor do crime, e apreenderam celulares, droga e balança de precisão, a ocorrência teve apoio de policiais civis de Aripuanã.

Siga o Juína News no instagram @juinanews

O CRIME 

No dia 29 de março, em Castanheira, a vítima Ulisses Pereira dos Santos foi executada com um tiro na região do tórax, teve o seu corpo envolto em uma rede e jogado próximo a um córrego. Uma outra pessoa que estava na propriedade também foi vítima dos criminosos, sendo alvejada na perna.

Imediatamente após os fatos, a Polícia Civil de Juína iniciou as investigações conseguindo identificar cinco pessoas envolvidas no crime.

Segundo as investigações, o crime foi motivado pelo fato de as vítimas não apontarem o local em que o ouro se encontrava na área.

Com base no apurado, uma semana após os fatos, o delegado Marco Bortolotto Remuzzi representou pelos mandados de prisão preventiva dos cinco suspeitos e três ordens de busca e apreensão domiciliar, que foram expedidas pela Justiça recentemente.

Com as ordens judiciais em mãos, os policiais deflagraram operação para cumprimento dos mandados, conseguindo localizar um dos envolvidos que teve a ordem de prisão cumprida. “Foi um caso de grande repercussão na região, que a Polícia Civil conseguiu esclarecer, identificando os autores, que tiveram as ordens judiciais de prisão decretadas, sendo dois deles presos.

As diligências continuam para prender todos os envolvidos”, disse o delegado.

Fonte: Juina News

Com muito ❤ por go7.site