baner topo1
Juara – Mato Grosso
Sábado, 18 de Setembro de 2021

Lei proíbe uso de narguilé em espaços públicos em Juína

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Foto: Ilustração da net

A Lei nº 1.147/2017 que foi sancionada pelo poder executivo no dia 13 de julho do ano de 2017; proíbe o uso de narguilé em locais públicos, considerado de aglomeração de pessoas, a lei define ainda a proibição da venda do cachimbo ou outros equipamentos para crianças e os adolescentes em Juína.

De acordo com explicação do presidente do CMDCA – Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Leandro Honório, a proibição do uso do narguilé nos locais públicos, envolve as praças de lazer, espaços esportivos, os bares, as lanchonetes, as casas noturnas, e estabelecimentos comerciais similares.

Na cidade após a criação da lei não foi registrado até o momento nenhuma punição, porém na última semana representantes da Polícia Militar, autoridades diversas juntamente com o CMDCA discutiram a regulamentação da referida lei.

“Mesmo sendo válida após 30 dias da sua criação, essa lei ainda não foi regulamentada para as cobranças de multas; nós temos observado certo esquecimento por parte de algumas pessoas em festas nos locais com aglomeração de pessoas e a prática do uso do narguilé; mas nós queremos o cumprimento da lei o mais breve possível”, destacou Leandro Honório.

De acordo com Honório, o uso do narguilé em casa não é proibido, porém se o uso estiver ocorrendo nas calçadas, por exemplo, e um o fiscal ou agente da infância for acionado eles têm autonomia para aplicar multas, se quem estiver usando o produto for menor, os pais deverão ser responsabilizados.

No flagrante deve ocorrer a apreensão dos materiais utilizados que poderão ser readquiridos mediante o pagamento de multa, se não houver manifestação por parte dos responsáveis os equipamentos poderão ser incinerados.

Indagado pelo site JNMT o presidente Leandro fez um esclarecimento àquelas pessoas que por ventura se sentirem prejudicadas com o uso de narguilé.

“A pessoa poderá denunciar ao CDMCA, aos fiscais da prefeitura, ao conselho tutelar ou ainda a própria polícia militar, estes têm autonomia para fazer a apreensão dos aparelhos e materiais utilizados e ainda aplicar multas”, frisou.

Fonte: Cleber Batista JNMT

Com muito ❤ por go7.site