Juara – Mato Grosso

16 de abril de 2024 02:49

[dataehoranews]

Gordura abdominal aumenta risco de demência, afirma estudo

Gordura acumulada na cintura pode influenciar no risco de demência, independentemente se a pessoa está acima do peso. Isso é o que revelou um estudo da Universidade da Coreia do Sul, em Seul, publicado pelo jornal Daily Mail.

Cinturas com largura maior que 85,9 cm em mulhres e 90,7 cm, em homens representam uma chance maior de perda progressiva das capacidades mentais mesmo naqueles que não estejam acima do peso, segundo o IMC (índice de massa corpórea).

O IMC é calculado pela divisão do peso pela altura elevada ao quadrado. Para ser considerado abaixo do peso, o IMC deve ser menor ou igual a 18,5; ideal, entre 18,5 e 24,9; sobrepeso, de 25 a 29,9; e, obesidade, acima de 30.

Leia também: Obesos precisam ter cuidados especiais contra o coronavírus

A pesquisa analisou 870 mil pessoas com mais de 65 anos e mostrou que quanto maior o tamanho da cintura, maior o risco de demência.

Estudos anteriores já havia mostrado que a obesidade aumenta as chances de desenvolver demência. Mas agora estão surgindo evidências de que a gordura abdominal, por si só, já traz riscos.

Gorduras que ficam ao redor dos órgãos – chamadas de “gordura visceral abdominal” – são conhecidas por estarem ligadas a diversos problemas de saúde.

Leia também: Insegurança alimentar leva a doenças que agravam covid-19

O estudo coordenado por Geum Joon Chode foi feito a partir de dados reunidos em um exame nacional de rastreamento de saúde realizado em 2009. Metade das pessoas envolvidas foram acompanhadas por no mínimo 6 anos e meio. Dentre elas, 13% foram diagnosticadas com demência.

O estudo não estabelece que a gordura extra ao redor da cintura seja a causa da demência, apenas sugere uma ligação entre essas duas características.

A incontinência urinária é muito comum e afeta o dia a dia dos pacientes. A doença afeta a capacidade de controlar a urina, fazendo com que muitas vezes a pessoa não consiga segurar a vontade de fazer xixi e esperar até chegar ao banheiro.

O urologista André Guilherme Cavalcanti desmistificou as principais questões que envolvem o problema.

 

Fonte: R7

Parceiros e Clientes

Entre no grupo Acesse Notícias no Whatsapp e receba notícias em tempo real.
Feito com muito 💜 por go7.com.br